A empresa de aviação irlandesa Ryanair anuncia que chegou a acordo com o Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil, refere a Reuters. Nos termos do acordo citados pela agência noticiosa, a empresa reconhece a antiguidade dos pilotos portugueses integrados nos seus quadros e alarga essas condições a todos os pilotos.

O acordo com o sindicato português surge em pleno clima de tensão entre os pilotos e outros setores da empresa — levando ao cancelamento de dezenas de voos por dia — e a Ryanair e segue-se a outros acordos fechados recentemente em países como Itália e o Reino Unido.

O diretor de Recursos Humanos diz, em comunicado, que  “estes acordos com os sindicatos dos nossos pilotos em Portugal, Reino Unido, Itália e, brevemente, Espanha, demonstram o significativo progresso que estamos a fazer na celebração de acordos sindicais com os nossos funcionários nos principais mercados da União Europeia (UE)”.

Eddie Wilson garante que há abertura da empresa para responder às exigências dos trabalhadores. “Da nossa parte, estamos a reconhecer e a trabalhar com os sindicatos para concluir acordos que abordem as principais questões do interesse dos nossos pilotos e tripulantes de cabine nos principais mercados da UE”, refere o responsável. “Espero que estes acordos em Espanha e, em particular, em Portugal, encorajem os sindicatos das equipas de bordo destes países a retirarem os funcionários de companhias aéreas concorrentes (que têm bloqueado o processo) e que rapidamente sejam fechados os acordos com assistentes de bordo nestes países, nessa que é a exigência dos nossos assistentes de bordo em Espanha e Portugal”, acrescenta Eddie Wilson.