Rádio Observador

Transgénero

Ciclista que ficou em terceiro lugar diz que vitória de mulher transgénero é injusta

1.481

Uma ciclista norte-americana ficou em terceiro lugar numa prova do campeonato mundial. A corrida foi ganha por uma mulher transgénero e a terceira classificada queixou-se de injustiça.

Rachel McKinnon (ao centro) venceu a prova, mas Jennifer Wagner-Assali (à direita), que ficou em terceiro, classificou o resultado como "injusto"

Twitter @rachelvmckinnon

Uma ciclista norte-americana classificou como “injusto” o resultado de uma prova na qual ficou em terceiro lugar e que foi vencida por uma mulher transgénero canadiana. Jennifer Wagner-Assali, que levou a medalha de bronze na prova do campeonato mundial de ciclismo em pista coberta, escreveu no Twitter que o resultado, “definitivamente, não é justo”.

A mensagem de Wagner-Assali surgiu em resposta a um tweet da colunista britânica Katie Hopkins, no qual se lia: “Para clarificar, este era o campeonato mundial de mulheres. Repito. De mulheres. Parabéns aos rostos corajosos de prata e bronze. O mundo está tomado por uma loucura febril”. A ciclista respondeu: “Eu fui a ciclista que ficou em terceiro lugar. Definitivamente, não é justo”.

Também no Twitter, Rachel McKinnon, a transgénero canadiana que venceu a prova, tinha-se orgulhado de ser “a primeira mulher ‘trans’ a ser campeã mundial num evento individual”. Depois de Jennifer Wagner-Assali ter feito as acusações, McKinnon defendeu-se, afirmando que há dois pesos e duas medidas e considerando a norte-americana “transfóbica”.

“Quando ganhamos, é porque somos transgénero e é injusto; quando perdemos, ninguém repara (e é porque não somos assim tão bons, de qualquer modo). Até quando é o mesmo atleta. Isto parece transfobia”, escreveu Rachel McKinnon no Twitter.

Mais tarde, Jennifer Wagner-Assali pediu desculpa à vencedora e admitiu que o seu comentário tinha sido inflamados pela “frustração”. “Peço desculpa por não te ter dado os parabéns no dia da corrida. Espero que aceites com uns dias de atraso. Parabéns e aproveita a tua época de descanso”, escreveu a norte-americana. Mas McKinnon não aceitou o pedido de desculpas.

“Não é claro para mim que a Jennifer tenha mudado de ideias quanto a ser justo as mulheres ‘trans’ competirem. Não é meramente ‘inflamatório’ proclamar que é injusto as mulheres ‘trans’ competirem: é transfóbico e cria um ambiente hostil”, escreveu McKinnon, argumentando que “é por isso que as desculpas não são aceites: ela ainda pensa o que disse”.

Segundo o tabloide britânico The Sun, Rachel McKinnon tem 36 anos e é uma professora universitária que nasceu homem, mas que se identifica como mulher.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)