São pelo menos 111 novos projetos empresariais e 2.300 novos empregos nos concelhos mais afetados pelos grandes incêndios de 2017. A garantia foi dada na manhã desta segunda-feira pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, aos microfones da TSF, e os resultados do programa lançado pelo Governo serão anunciados mais tarde em Castelo de Paiva numa das empresas de calçado beneficiadas por apoios públicos.

Além de procurar a manutenção de emprego nessas regiões, o programa lançado pelo governo tinha o objetivo de atrair novos investimentos. De acordo com Pedro Marques, juntaram-se 111 projetos, que envolvem um investimento total de 360 milhões de euros, sendo 198 milhões de apoio público — o montante de financiamento público, reforça o ministro, teve de ser duplicado dado o número de projetos apresentados.

Entre os setores de atividade envolvidos neste programa, estão empresas tradicionais da região, dedicadas a áreas comoa fileira florestal. Nestes casos, explica Pedro Marques, o objetivo é melhorar a inovação. Outra das ambições passava por diversificar a base económica das regiões e atrair novas áreas de negócio, algo que o governante garante ter sido alcançado com novos projetos em áreas como a metalomecânica, componentes automóveis ou têxteis técnicos.