O secretário-geral da ONU disse esta segunda-feira que espera que os EUA e a Federação Russa possam resolver as suas diferenças e manter em vigor o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio (INF, na sigla em inglês).

O Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, anunciou no sábado que o seu Governo vai retirar-se do INF, acusando Moscovo de o ter violado.

“O secretário-geral está a par dos comentários dos EUA sobre o tratado INF e espera que os dois países trabalhem para resolver os seus desacordos”, afirmou o porta-voz da ONU, Farhan Haq, quando questionado a propósito.

Farhan Haq adiantou que este ano Guterres já tinha apelado a Washington e Moscovo para resolverem as suas divergências neste assunto, prolongarem o seu acordo de redução de arsenais nucleares e darem novos passos nessa direção.

A Federação Russa, que nega ter violado o INF, avisou esta segunda-feira que, se os EUA abandonarem o tratado, o mundo ficará “mais perigoso” devido ao risco de uma nova corrida ao armamento.

O INF, o primeiro acordo que reduziu os arsenais nucleares durante a Guerra Fria, foi assinado em 1987 e conduziu à eliminação em 1991 de todos os mísseis balísticos e de alcance médio (1.000-5.000 quilómetros) e curto (500-1.000) norte-americanos e russos.