Rádio Observador

Concertos

Mark Knopfler atua em Lisboa em abril do próximo ano

898

O antigo guitarrista e vocalista dos Dire Straits vai apresentar um novo álbum a solo (que sairá em novembro) em digressão pela Europa, entre abril e junho. O concerto em Portugal é a 30 de abril.

O fundador dos Dire Straits, atualmente com 69 anos, apresenta no antigo Pavilhão Atlântico um álbum novo, mas espera-se que toque também os maiores êxitos da carreira

RAUL SANCHIDRIAN/EPA

Mark Knopfler, antigo guitarrista e vocalista dos Dire Straits que iniciou uma carreira a solo na segunda metade da década de 1990, atua em Portugal no dia 30 de abril do próximo ano. O músico escocês, que tem atualmente 69 anos, apresentará na Altice Arena (antigo Pavilhão Atlântico) um novo álbum a solo, intitulado Down The Road Wherever. O disco será editado já no próximo mês de novembro, dia 16. Do disco conhece-se já um single, “Good On You Soon”.

Knopfler, que chegou a ser considerado o 27º melhor guitarrista de sempre pela revista musical Rolling Stone, ficou conhecido sobretudo pelo seu trabalho na banda Dire Straits, que fundou com o irmão, o guitarrista e teclista David Knopfler, e ainda com o baterista David “Pick” Withers e o baixista John Illsley.

Ativos entre 1977 e 1995, os Dire Straits gravaram algumas das canções mais populares do rock, com destaque para o grande êxito “Brothers in Arms”. Depois da banda terminar, em 1995, Mark Knopfler iniciou uma carreira a solo, tendo editado já oito álbuns nesse registo, dos quais Golden Heart (de 1996), Sailing to Philadelphia (2000), The Ragpicker’s Dream (de 2002) e Shangri-La (de 2004) foram os primeiros e alguns dos mais emblemáticos.

Vencedor de quatro prémios Grammy, galardão de referência da indústria musical norte-americana, Mark Knopfler atuou pela última vez em Portugal em 2015, no Parque dos Poetas, em Oeiras, no decurso do festival EDP Cooljazz.

O músico escocês num concerto em Madrid, em 2010 (@ Juan Naharro Gimenez/Getty Images)

O novo álbum do músico, que motiva uma digressão europeia que decorrerá entre abril e junho do próximo do ano, é o novo da discografia a solo de Knopfler. Para o apresentar em palco, o músico juntou Graeme Blebins (saxofone) e Tom Walsh (trompete) à sua banda habitual (e alargada), formada pelo teclista Guy Fletcher, pelo guitarrista Richard Bennett, pelo pianista Jim Cox, pelo flautista Mike McGoldrick, pelo violinista John McCusker, pelo baixista Glenn Worf, pelo percussionista Danny Cummings e pelo baterista Ian Thomas (bateria).

Os bilhetes gerais para o concerto em Lisboa oscilam entre os 32 (balcão dois e público com mobilidade condicionada) e os 62 euros (plateia A), havendo ainda bilhetes VIP a 75 e 120 euros.

A partir da próxima segunda-feira, dia 29 de outubro, haverá uma pré-venda exclusiva de bilhetes a membros do clube oficial de fãs do guitarrista, ficando os ingressos posteriormente disponíveis para o público geral.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)