O mais novo milionário africano que foi raptado de um hotel de luxo na Tanzânia por homens armados no passado dia 11 de outubro foi libertado no sábado, dia 20 de outubro, depois de estar desaparecido durante mais de uma semana.

Mohammed Dewji usou o Twitter da Fundação Mo Dewji para confirmar a sua libertação, fazendo um agradecimento geral por ter regressado a casa em segurança:

“Agradeço a Alá por ter regressado a casa em segurança. Agradeço a todos pelas suas rezas. Agradeço às autoridades da Tanzânia, inclusive às Forças Policiais por trabalharem no meu regresso seguro”, escreve Dewji na rede social.

O chefe da Polícia Regional de Dar es Salaam, Lazaro Mambosaso, disse aos jornalistas que o milionário foi deixado num campo perto do clube de desporto Gymkhana e que o encontraram em boas condições de saúde. A polícia acrescentou que se suspeita de que os raptores sejam sul-africanos, por estarem a comunicar entre eles na própria língua do país.

Depois de terem abandonado Dewji, os raptores tentaram queimar o carro, mas a polícia conseguiu recuperá-lo mais tarde, tendo descoberto uma arma de assalto AK-47, duas pistolas e várias balas de munição. Quanto a um possível pedido de resgaste, não é claro se o dinheiro foi pago nem que quantia rondava.