A maioria dos bancos garante já estar a ser mais restritiva na concessão de crédito, tanto à habitação como ao consumo, fruto da medida aplicada pelo Banco de Portugal e que entrou em vigor em julho. Esta é a principal conclusão do último inquérito às instituições de crédito nacionais, feito pelo Banco de Portugal e revelado esta terça-feira. E a tendência é para um aperto cada vez maior, já que “algumas instituições preveem restringir os critérios de aprovação nos empréstimos a particulares” no último trimestre.

“Relativamente aos empréstimos a particulares a maioria das instituições reportou critérios de aprovação mais restritivos, tanto no crédito à habitação como no crédito ao consumo”, relata o Banco de Portugal, acrescentando que “o principal fator que os bancos indicaram para explicar a maior restritividade no crédito a particulares foi o cumprimento da medida macroprudencial aplicada aos novos créditos à habitação e ao consumo pelo Banco de Portugal”.

Regras que restringem concessão de crédito pelos bancos entram em vigor

Do lado da procura por parte dos clientes particulares, “a maioria das instituições reportou um aumento da procura de crédito para aquisição de habitação e uma estabilização na procura
de crédito para consumo”.

O aumento da confiança dos consumidores, perspetivas do mercado da habitação e o nível das taxas de juro terão sido os principais fatores subjacentes à evolução da procura de crédito à habitação.”

Do lado do crédito às empresas, “três bancos reportaram uma ligeira diminuição dos spreads aplicados em empréstimos de risco médio, tanto no segmento das Pequenas e Médias Empresas [PME] como no segmento das grandes empresas”. Além disso, “um banco reportou um ligeiro aumento da procura nos empréstimos a grandes empresas e dois bancos reportaram uma procura ligeiramente maior nos empréstimos de longo prazo”.

Bancos voltaram a “abrir a torneira” do crédito? Fomos testar, balcão a balcão