O  último leilão de obras do britânico Banksy não teria sido notícia em todo o mundo se o artista não tivesse preparado uma manobra de diversão: assim que “Girl with Baloon” (em português, “Rapariga com Balão”) foi vendida por 1,2 milhões de euros na corretora Sotheby’s, em Londres, a obra autodestruiu-se. O truque foi pensado pelo próprio artista e ficou a meio caminho do sucesso, já que metade da obra ficou destruída e a outra metade ficou intacta (o que não era suposto). Esta quarta-feira, dia 24 de outubro, há um novo leilão de desenhos do artista, na francesa Artcurial. É o primeiro desde a manobra de Banksy que correu mundo e está, por isso, a causar expetativa quanto a eventuais surpresas.

Na Artcurial, leiloeira que tem a sua sede em Paris, vão ser disputadas três obras do artista inglês: os desenhos “Stop and Search” (“Para e revista”), “Queen Vic” (na fotografia principal deste artigo) e “Soup Can Yellow” (em português, “lata de sopa amarela”). Curiosamente, ao mesmo tempo que afirmou estar a tomar precauções de segurança relativamente a eventuais manobras do artista, o leiloeiro da Artcurial Arnaud Oliveux reconheceu à CNN que o episódio anterior foi benéfico para este novo leilão e que deverá aumentar o preço de venda das obras: “Há definitivamente mais falatório sobre este leilão devido ao que aconteceu na Sotheby’s. Há muito interesse dos colecionadores e os preços [das obras] vão subir”, apontou.

À agência noticiosa France-Press, o mesmo leiloeiro afirmou: “Estaremos particularmente vigilantes. Montámos um dispositivo de segurança mas tentaremos mantê-lo discreto, camuflado, tão leve quanto possível. Não teremos dez ‘gorilas’ em cada sala”.

Não acredito que ele [Banksy] vá usar o mesmo sistema que utilizou para retalhar a sua obra de arte na Sotheby’s. Porém, pode fazer algo diferente, outro tipo de partida, portanto estaremos alerta. O Banksy é um artista único e as suas peças são igualmente únicas. Não o imagino a usar o mesmo truque duas vezes”, referiu ainda Arnaud Oliveux.

Os três desenhos de Banksy terão um preço inicial de leilão bastante distinto: “Stop and Search” deverá começar com um preço base de licitação de 30 mil euros, “Soup Can Yellow” terá um valor base estimado de 15 a 20 mil euros e “Queen Vic” deverá começar a ser disputado por um valor entre os 3.500 e os 4.000 euros.

“Soup Can Yellow”, terceiro desenho de Banksy a ser vendido na leiloeira francesa Artcurial. (@ Banksy Editions)

Após a autodestruição parcial de “Girl with Baloon” em Londres, discutiu-se se a manobra de diversão planeada por Banksy seria ou não seria do conhecimento da leiloeira que a vendeu, a Sotheby’s. Colocou-se ainda em dúvida as intenções do artista, que tanto poderia querer subverter a noção de obra de arte vendida em leilão — já que as suas obras de rua e de arte urbana estão acessíveis a todos, sem segurança especial, podendo ser vandalizadas, apagadas ou destruídas sem aviso prévio — como poderia querer chamar a atenção para a peça.

Banksy, artista cuja identidade não é sequer conhecida, ainda não se pronunciou sobre o assunto. Sabe-se, para já, que a compradora da obra, que pagou 1,2 milhões de euros pelo que restou do desenho (que passou a chamar-se “Love is in the Bin”), não quis ser reembolsada. Alguns analistas e leiloeiros estimam, também, que o preço das obras de Banksy tenha subido após a manobra.

Num vídeo de espécie de “making of” do truque, Banksy revelou que a sua intenção passava pela destruição integral do desenho, o que parece descartar a hipótese de que tenha tido como objetivo criar uma nova obra (retalhada) a partir da anterior, de maior valor comercial e mediático.