Cultura

Já se sabe quem fará de Camilla Parker Bowles na próxima temporada de “The Crown”

A duquesa da Cornualha e segunda mulher do Príncipe Carlos será interpretada na série pela atriz Emerald Fennell. Já se sabia que a atriz Olivia Colman substituiria Claire Foy como Rainha Isabel II.

Getty Images

Emerald Fennell, atriz que conta com participações no filme “A Rapariga Dinamarquesa” e na série “Chamem a Parteira”, fará de Camilla Parker Bowles na próxima temporada da série britânica “The Crown”. A atriz londrina de 33 anos manifestou a sua satisfação e sentido de responsabilidade por lhe ter sido atribuído o papel da Duquesa da Cornualha, segunda mulher do Príncipe Carlos:

Estou absolutamente na lua e completamente aterrorizada por me juntar a tantas pessoas tão incrivelmente talentosas em ‘The Crown’. Amo a Camilla e estou muito agradecida que os meus anos de adolescência me tenham preparado tão bem para interpretar uma beijoqueira indefetível e uma fumadora compulsiva com um corte de cabelo à tigela”, apontou, citada pela revista Variety.

A terceira temporada da série britânica, que conquistou cinco galardões na última cerimónia dos prémios Emmy, deverá chegar à Netflix no primeiro semestre de 2019.

Já se conhecem alguns detalhes sobre os próximos capítulos de “The Crown”: sabe-se, por exemplo, que a aclamada Claire Foy (vencedora de Emmy de melhor atriz) será substituída por Olivia Colman como Rainha Isabel II e que Matt Smith será substituído por Tobias Menzies (que fez de Edmure Tully na série “A Guerra dos Tronos”) no papel de Filipe, Duque de Edimburgo.

O Príncipe Carlos vai ser interpretado pelo ator Josh O’Connor, ao passo que Margarida, Condessa de Snowdon será interpretada por Helena Bonham Carter. Já Isabel Bowes-Lyon, “a Rainha mãe”, será interpretada por Marion Bailey, enquanto Jason Watkins fará de Harold Wilson, antigo primeiro-ministro inglês do partido Trabalhista.

Depois da primeira temporada da série, inspirada em acontecimentos reais na coroa britânica, ter coberto um período temporal de 1947 a 1956 e da segunda temporada ter ido de 1957 a 1963, espera-se que a terceira prossiga pelos anos 1960 e pela década de 1970. É precisamente a mudança de contexto temporal da terceira temporada face às duas primeiras que justificou tantas mudanças no elenco e personagens da série.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)