Rádio Observador

Nacional da Madeira

Costinha pede “alteração de mentalidade” para vencer o Portimonense

O treinador do Nacional, Costinha, pediu aos jogadores uma "alteração de mentalidade", que contribua para a conquista da primeira vitória em casa na I Liga de futebol, frente ao Portimonense.

JOSÉ COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O treinador do Nacional, Costinha, pediu esta quinta-feira aos jogadores uma “alteração de mentalidade”, que contribua para a conquista da primeira vitória em casa na I Liga de futebol, na sexta-feira, frente ao Portimonense, em jogo da oitava jornada.

Depois do afastamento prematuro na Taça de Portugal, frente ao Lusitano de Vildemoinhos, do terceiro escalão, o técnico pretende reverter o momento negativo, com a obtenção dos primeiros pontos na Choupana.

“A nossa principal mudança, passa por alterarmos a mentalidade, que tem que ser mais duradoura. Não podemos pensar de uma forma num jogo e no outro não fazer igual. Quando jogamos fora as coisas correm bem, mas depois em casa não correm tão bem como desejaríamos, por isso temos que ser fortes, ter caráter e personalidade”, observou Costinha, em conferência de imprensa.

O treinador dos ‘alvinegros”, espera um Portimonense forte: “Será certamente um jogo muito difícil para as duas equipas, o Portimonense já tem uma posição consolidada na I Liga, ficou com grande parte dos jogadores da época passada e contratou outros de muita qualidade”, adiantou.

Depois de ter ganhado por 4-2 ao Sporting na jornada anterior, os algarvios foram eliminados da Taça de Portugal, pelo Cova da Piedade, o que significa que, frente a frente, estarão duas equipas que pretendem reabilitar-se de desaires inesperados.

“Temos que defrontar o Portimonense, acreditando nas nossas capacidades, mas respeitando sempre o adversário, pondo em jogo tudo aquilo que trabalhámos durante a semana. Queremos fazer um bom jogo e presentear os adeptos com uma vitória, tendo a noção de que vamos defrontar uma equipa forte”, reforçou Costinha.

Para o treinador da equipa madeirense, mais importante do que falar do adversário, “é saber aquilo que a equipa terá que fazer e voltar àquilo que foi na época passada”, onde a Choupana foi uma “fortaleza”.

“Tenho a certeza de que a alegria que nos causa jogar em casa, vai trazer-nos muita felicidade, bastando para tal ganharmos este jogo e muitas mais vitórias virão”, considerou.

Após a eliminação da Taça de Portugal, Costinha diz ter sentido “tristeza no balneário”, num jogo que o Nacional “tinha o dever de ganhar”, manifestando-se convicto que a equipa ser+a capaz de inverter o ciclo negativo.

“Desde que cheguei ao clube, assumi o propósito de trazer o Nacional à I Liga, mesmo quando me chamaram louco por dizê-lo, uma vez que tínhamos uma equipa nova. Sabia que a massa adepta do Nacional iria corresponder com o seu apoio e fê-lo, agora espero a mesma coisa, que nos apoiem sempre, porque isso é muito importante para a equipa”, destacou.

O Nacional, 17.º e antepenúltimo classificado do campeonato, com cinco pontos, recebe o Portimonense, 13.º colocado, com sete, a partir das 19:00 horas de sexta-feira, em jogo da oitava jornada da prova.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)