As fotografias dos três detidos que fugiram de um tribunal no Porto, que acabaram por ser tornadas públicas, foram tiradas por um agente da PSP, avança o DN. Nas imagens, os fugitivos apareciam sentados no chão, com mãos atadas e ferimentos na cara.

MAI abre inquérito sobre fuga de três homens do tribunal e divulgação de fotografias

As fotos foram feitas no final de uma operação da PSP, que resultou na recaptura dos detidos. A divulgação das imagens no Facebook, por dois sindicatos da polícia, levou a criticas do Ministério da Administração Interna, que abriu um inquérito sobre a divulgação das imagens. E foi na sequência desse inquérito que a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) que chegou à identidade do autor das fotografias, que arrisca, agora, ser expulso da PSP.

Sindicato da PSP que divulgou fotografias de assaltantes algemados mostra polícia no hospital. “Espera-se uma reação do sr. ministro”

Além do processo disciplinar, o agente também vai ser alvo de um inquérito-crime por violação de segredo de justiça e divulgação de imagens sem autorização. As fotografias, que entretanto foram apagadas da rede social, foram apoiadas pelo sindicatos, mas também foram criticadas. O ministro da Administração Interna e o Presidente da República classificaram as imagens como “inaceitáveis”.

Os três homens, dois irmãos gémeos com 34 anos e um terceiro com 20 anos, foram capturados num parque de campismo em Gondomar depois de terem conseguido fugir a caminho do estabelecimento prisional de Custóias. A PSP abriu de imediato uma operação de busca pela cidade do Porto, alertando que os fugitivos eram “perigosos” e podiam estar armados. Os três foram encontrados com milhares de euros em notas de 500 e preparavam-se para fugir do país.

Apanhados num parque de campismo os três detidos que fugiram do tribunal no Porto