Trabalho

Vieira da Silva destaca aumento do salário mínimo como sinal de mudança política

O ministro do Trabalho defendeu que Portugal vive uma "renovação da esperança e da confiança" com a evolução económica e do emprego.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O ministro do Trabalho defendeu este sábado que Portugal vive uma “renovação da esperança e da confiança” com a evolução económica e do emprego e que agora há que lançar “um novo ciclo de políticas” contra as desigualdades. “Precisamos agora, talvez com outro tempo, com mais profundidade, de lançar as bases de um novo ciclo de políticas que potencie estes ganhos e o capital de confiança que construímos, procurando dar resposta a novos e velhos desafios, de grande dimensão”, afirmou.

O ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social falava numa sessão comemorativa do 40.º aniversário da União Geral dos Trabalhadores (UGT), na sede desta central sindical, em Lisboa, na qual também esteve o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Segundo José António Vieira da Silva, os desafios a que há que dar resposta são “os níveis persistentes de desigualdades salariais, geracionais, de género, territoriais, de qualificações”, assim como “o défice das qualificações, em particular nos adultos e nos jovens adultos”.

Há também que responder aos “desafios na regulação do mercado de trabalho, com a globalização das cadeias de produção, com a digitalização, com a robotização”, aos “baixos níveis de associativismo e perda da sua densidade” e aos “desafios de ajustamento com a mudança do ciclo e o perfil da economia”, elencou.

“Esta é uma agenda de desafios, mas uma agenda de ação, diversificada, ambiciosa, cujo sucesso dependerá da nossa capacidade de trabalho conjunto e do empenho de todos no diálogo social e nos mecanismos de contratação a todos os níveis”, acrescentou.

No início do seu discurso, o ministro considerou que a celebração dos 40 anos da UGT acontece “num momento de renovação da esperança e da confiança” no futuro coletivo de Portugal, depois da “mais grave crise financeira” da história democrática do país.

“É um momento em que o país pode olhar com otimismo renovado para as perspetivas económicas, para a evolução do mercado de trabalho, para a retoma do dinamismo do diálogo social, que é condição essencial para garantir e consolidar os ganhos alcançados”, sustentou.

Vieira da Silva destacou a taxa de crescimento do salário mínimo como “um dos maiores sinais da mudança de política económica e social e dos seus resultados” durante a atual governação, referindo que a ideia de que isso prejudicaria a criação de emprego não se comprovou e que a Comissão Europeia mudou de posição nesta matéria.

“Por diversas vezes essa estratégia de crescimento do salário mínimo foi apoiada em acordos de concertação, em que sempre a UGT teve decisiva participação ativa e construtiva”, salientou.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Trabalho

Psst, psst… O burnout anda por aí /premium

Teresa Espassandim

Quando o stress laboral se torna crónico e o ambiente entre colegas é conflituoso e nada colaborativo, o nosso envolvimento reduz-se à medida que o negativismo aumenta e o cinismo se torna recorrente.

Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)