Tesla

Model 3 por 35.000$ só dentro de 6 meses, diz Musk

Durante o anúncio dos resultados do 3º trimestre, em que a Tesla teve finalmente lucros, Musk admitiu que ainda não é possível produzir o Model 3 de 35.000$. Apesar dos custos terem caído 30%.

Autor
  • Observador

“Só dentro de seis meses”, avança Elon Musk, o CEO da Tesla, como data provável para o início da produção em série do Model 3 mais barato. Apesar de a marca conseguir trabalhar já com uns impressionantes 25,8% de margem de lucro bruta, na produção do seu modelo mais acessível, contra 21% no trimestre anterior, a realidade – segundo o fabricante – é que ainda não estarão reunidas as condições para comercializar o Model 3 com uma bateria de 50 kWh e um preço de apenas 35.000 dólares. Tudo porque só neste trimestre, e num corte de mais 30%, foi possível fabricar o Model 3 com custos inferiores aos do Model S, substancialmente maior e mais sofisticado.

Como se aproximam investimentos importantes – novos modelos e fábrica na China –, nem Musk nem os accionistas vêem com bons olhos o recurso aos bancos em busca de financiamento, forçando a empresa americana a reunir capitais próprios para continuar a crescer. Daí a pressão para aumentar as vendas, a facturação e, mais do que tudo, a tesouraria, que melhorou em quase mil milhões só neste trimestre.

A Tesla poderia ter começado a fabricar o Model  3 com a bateria Standard, com 50 kWh no 3º trimestre, mas isso significaria aceitar margens de lucro mais pequenas, que comprometeriam o futuro da companhia. Os cortes dos custos de produção já estão abaixo do Model S, mas têm de continuar a cair para manter as margens acima dos 35% num veículo de apenas 35.000$, mesmo se equipado com uma bateria mais pequena e, logo, mais barata.

Para satisfazer simultaneamente a contabilidade e os clientes, a Tesla introduziu na gama uma versão intermédia, que nunca esteve prevista, denominada “Mid-Range”, para se posicionar entre a bateria Standard, com 50 kWh de capacidade e a Long Range, de 75 kWh.

Com 62 kWh, o Model 3 Mid Range vai ter de agradar a gregos e a troianos, pelo menos até a marca conseguir ganhar o dinheiro que pretende, por unidade, com a versão Standard.  “O Mid Range, à venda por 46.000$, é o modelo mais acessível que podemos propor por agora, mas estaremos em condições de propor um Model 3 por apenas 35.000$ no início de 2019″, justifica Musk.

O caminho a seguir é agora continuar a inundar o mercado americano e canadiano com as versões de 62 e 75 kWh, além da Performance igualmente com a bateria Long Range, para depois a marca se virar para o mercado europeu, onde há igualmente muitos clientes à espera e com encomendas sinalizadas, antes de avançar para o mais barato do Model 3, algures entre o 1º e o 2º trimestres do próximo ano. E ainda ficam a faltar os clientes da Ásia-Pacífico, que terão de ser abastecidos a partir dos EUA, uma vez que a fábrica chinesa da Tesla não estará no activo antes de 2020.

O Model 3 Mid Range é capaz de percorrer 260 milhas (418 km) segundo o método americano EPA, posicionando-se entre a versão Standard (220 milhas/354 km) e Long Range (310 milhas/498 km). De salientar que estes valores subirão consideravelmente uma vez adaptados ao WLTP europeu. Com apenas tracção traseira e o pack de 62 kWh, este Model 3 Mid Range é capaz de atingir 201 km/h e os 96 km/h em somente 5,6 segundos, assumindo uma posição intermédia na gama, como a denominação indica. Veja na galeria a diferença entre as distintas versões do Model 3.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Enfermeiros

Elogio da Enfermagem

Luís Coelho
323

Muitos pensam que um enfermeiro não passa de um "pseudo-médico" frustrado. Tomara que as "frustrações" fossem assim, deste modo de dar o corpo ao manifesto para que o corpo do "outro" possa prevalecer

Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)