Cristiano Ronaldo deu uma entrevista longa à revista France Football onde falou sobre a transferência para a Juventus, a possibilidade de conquistar a sexta Bola de Ouro em dezembro e ainda a acusação de violação de que foi alvo no passado mês de setembro. “Dei explicações à minha companheira. O meu filho, Cristiano Jr, é demasiado pequeno para compreender. O pior foi para a minha mãe e as minhas irmãs. Elas estão chocadas e ao mesmo tempo muito zangadas. É a primeira vez que as vejo neste estado”, disse o avançado português sobre o caso com nove anos que foi agora reaberto por parte da norte-americana Kathryn Mayorga.

“Claro que essa história interfere na minha vida. Tenho uma namorada, quatro filhos, uma família que é muito próximo de mim. Sempre tive uma reputação de ser uma pessoa exemplar. Eu sei quem sou e o que fiz. A verdade será conhecida um dia”, disse Cristiano Ronaldo.

O jogador da Juventus, vencedor de cinco Bolas de Ouro, comentou ainda a relação com Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, e cuja tensão foi apontada como o principal motivo para a saída do avançado do clube espanhol. “Ele nunca olhou para mim como uma relação de negócios. Eu sei disso. O que ele me disse não veio do coração”, garante Ronaldo. Ainda sobre a ida para Itália, o capitão da Seleção Nacional diz que foi uma “boa escolha”. “Senti que já não me tratavam, sobretudo o presidente, como no princípio. Nos primeiros quatro, cinco anos, senti que era o Cristiano Ronaldo. Depois disso, menos. Deixei de ser indispensável e sentia que se chegasse uma proposta, o presidente não me impediria de sair”, explicou o jogador de 33 anos.

Alcancei muitas coisas ótimas em Madrid e passei momentos incríveis, que vou sempre recordar, com companheiros de equipa com muito valor. E os adeptos também. Mas acho que depois de nove anos ali, estava na hora de mudar de clube e sair”, afirmou Cristiano Ronaldo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ronaldo acrescentou que rejeitou ofertas milionárias da China e que optou pela Juventus por ter sido o único clube que demonstrou que realmente o queria contratar. “Se fosse uma questão de dinheiro, teria ido para a China, onde me ofereciam cinco vezes mais. Não vim para a Juventus por causa do dinheiro. Ganhava o mesmo no Real Madrid, até mais. A Juventus desejou-me de verdade. Disseram-me isso e demonstraram-me isso”, disse.

Quanto à sexta Bola de Ouro – que pode conquistar em dezembro -, o jogador português reconhece que é um objetivo, mas que não vive “obcecado” com isso. “Já disse várias vezes que não é uma obsessão. E não coloco a questão nesses termos. Eu já sei, no fundo do meu coração, que sou um dos melhores jogadores da história. Claro que quero ganhar, é a sexta Bola de Ouro! Estaria a mentir se dissesse o contrário. Trabalho para isso. Assim como trabalho para marcar golos e ganhar jogos sem que isso seja uma obsessão. A Bola de Ouro, sim, acho que a mereço”, disse o avançado, que este sábado apontou mais dois golos ao serviço da Juventus.

A revista sai esta terça-feira para as bancas com a entrevista completa.