O The Telegraph fez uma lista de 20 lugares incríveis que despertam a atenção de qualquer pessoa pela sua beleza natural e pela sua riqueza histórica, mas que não se podem/devem visitar por serem considerados perigosos pela UNESCO.

Segundo esta organização, o Afeganistão é um dos países mais perigosos para visitar, apesar de ter grandes riquezas históricas (como é o caso do Minarete de Jam) e naturais (como os Lagos Band-e-Amir). O Foreign and Commonwealth Office (FCO) avisa, a este propósito, que os hotéis e as pousadas onde normalmente os estrangeiros ficam alojados são alvo de ameaças frequentes, incluindo raptos.

Quanto à Síria, não é novidade que o conflito armado destrui o território nos últimos anos, nomeadamente as suas heranças arqueológicas. Damasco, a capital, é uma das cidades mais antigas do Médio Oriente. A cidade tem 125 monumentos de diferentes períodos históricos e um deles é a Mesquita dos Omíadas, ou a Grande Mesquita de Damasco, que faz parte do Património Mundial da UNESCO e é considerada o quarto lugar mais sagrado para os muçulmanos.

A Ilha de Socotra, no Iémen, é por sua vez uma ilha biologicamente diversa. A UNESCO enaltece a sua importância pela fauna e flora ricas e distintas que se podem encontrar exclusivamente lá. Contudo, o FCO aconselha, desde março de 2011, a todas as pessoas que lá estiverem a sairem imediatamente, tanto do território principal como das ilhas, pela iminência de conflitos.

Entre muitos outros lugares não aconselháveis a turismo, encontra-se o Egito, a Rússia, o Congo, a Venezuela, o Líbano e o Iraque.

Veja na fotogaleria acima as fotografias destes sítios.