Julgamentos

Ex-guarda de campo de concentração nazi, 94 anos, começa a ser julgado na Alemanha

105

Quando tinha entre 18 e 20 anos guardava as torres de vigia no campo de concentração nazi de Stutthof, na Polónia. Aos 94 anos, este ex-guarda é acusado de cumplicidade em centenas de assassínios.

Adam Warzawa/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Um antigo guarda de 94 anos do campo de concentração nazi de Stutthof, no norte da Polónia, vai começar a ser julgado terça-feira em Munster, na Alemanha, acusado de cumplicidade em centenas de assassínios.

O alemão, que vive em Munster, é acusado de ter servido entre junho de 1942 e setembro de 1944 neste campo localizado a quarenta quilómetros de Gdansk. O Ministério Público não revelou a identidade do acusado que, segundo o diário Die Welt, é um pintor de paisagens aposentado.

“Tinha entre 18 e 20 anos de idade na época. Como supervisor, ele guardava o campo, as cercas e as torres de vigia”, num período em que centenas de pessoas “foram gaseadas e morreram de fome ou a tiro”, afirmou o promotor público de Dortmund, Andreas Brendel.

O acusado tinha “conhecimento de todos os métodos usados para matar” e, assim, foi cúmplice no “assassínio de centenas de pessoas”, mesmo que não tenha participado diretamente, segundo a acusação.

De acordo com o Die Welt, o homem negou à polícia em agosto de 2017 ter conhecimento das atrocidades que foram cometidas no campo de concentração, alegando, nomeadamente, que os soldados também tinham passado fome.

Stutthof foi o primeiro campo de concentração nazi ativado fora da Alemanha no final de 1939 e um dos últimos a ser libertado pelos Aliados em maio de 1945. No campo – que recebeu cerca de 110 mil pessoas, entre judeus, ciganos e polacos -, há a registar 65 mil mortes, de acordo com o Museu Stutthof em Sztutowo.

O local foi guardado pelas SS (corpo de elite alemão) e por pessoal auxiliar ucraniano, tendo servido inicialmente como centro de detenção de prisioneiros de guerra e opositores polacos, noruegueses ou dinamarqueses antes de receber judeus oriundos dos países bálticos e da Polónia, na sua maioria mulheres, deportados a partir de 1944 no âmbito da “solução final” nazi.

Após a sua libertação, menos de cem dos mais de dois mil membros que ali serviram às ordens do regime nazi foram levados a tribunal, a maioria em Gdansk e na antiga República Federal da Alemanha, de acordo com o museu.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

Ao centro, o PSD não ganhará eleições /premium

João Marques de Almeida

Rio, que não perde uma ocasião para evocar Sá Carneiro, não aprendeu a sua principal lição: o PSD só chega ao poder quando lidera uma alternativa aos socialistas. Não basta esperar pelo fracasso do PS

Futebol

Sobre o futuro próximo de José Mourinho

António Bento

No frio e previsivelmente longo Inverno de 2018-2019 a pele de José Mourinho não é boa de se vestir, como se vê por uma parte significativa das suas declarações à imprensa desde que foi despedido.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)