FC Porto

Herrera riu-se do passe para Marega e da condição física antes de falar a sério da renovação (e dizer que quer ficar)

Herrera voltou ao onze, marcou o primeiro, assistiu para o segundo e foi um dos melhores do FC Porto. No final, entre a boa disposição na flash, falou a sério e admitiu que gostava de renovar.

Herrera marcou o primeiro golo do FC Porto logo aos dois minutos: dragões não marcavam tão cedo na Champions desde 2009

AFP/Getty Images

Já tinha marcado na Rússia, voltou a marcar no Dragão. Herrera fez parte do trio que tão cedo o Lokomotiv não vai esquecer por ter feito a diferença nos dois encontros na fase de grupos da Champions, a par de Marega e Corona, mas teve outros motivos para festejar neste regresso à titularidade depois de um período com alguns problemas físicos que o foram limitando. Com um golo e uma assistência, o capitão foi um dos melhores e mostrou-se bem disposto após o final do encontro.

“Quero sempre jogar, ainda por cima nestes jogos tão importantes como na Champions. O grupo está forte, jogue quem jogue a equipa está sempre bem”, começou por referir a propósito do regresso à titularidade na flash interview na Eleven Sports, logo após o apito final. “Estamos contentes com o resultado porque ficámos mais perto dos oitavos. Faltam ainda dois jogos muito importantes onde não podemos facilitar para poder assegurar o apuramento”, acrescentou.

Depois, a propósito do passe em profundidade para o segundo golo do FC Porto, o médio não evitou os sorrisos antes da resposta: “Conhecemos a capacidade física do Marega, é forte na profundidade e para nós fica mais fácil. Tentamos aproveitar”.

Mais tarde, aos microfones da TVI24, Herrera voltou também a focar a questão física que o tem limitado e feito com que saísse do onze inicia. “Temos a abertura para falar com o mister se temos alguma dor ou se sentimos que não estamos a 100%. Tinha algumas dores,mas queremos sempre jogar. Sempre disse que quando ele me põe em campo, trato de dar o máximo e ajudar a equipa o melhor possível”, reforçou, antes de abordar também a questão da renovação de contrato.

“Não me cabe a mim falar sobre a renovação, quem trata dessas coisas com o clube é o meu empresário. O melhor era que conseguissem chegar a um acordo mas como disse o treinador estou aqui de corpo e alma e acho que demonstro isso todos os dias. Se gostava que chegassem a acordo para continuar aqui? Claro que sim”, assegurou.

Já Sérgio Conceição recusou a ideia de ter feito qualquer tipo de bluff a propósito da condição física do médio. “Não faço bluff. Teve um problema no joelho na Rússia, uma pequena entorse, e praticamente não tem treinado. Tinha de decidir por um jogo, o da Madeira ou este. Optei hoje pelo Héctor”, explicou o treinador dos azuis e brancos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)