Wall Street

Wall Street fecha em alta numa sessão com pouco movimento e olhos nas eleições

A bolsa nova-iorquina fechou esta terça-feira em alta, depois de uma sessão muito contida, enquanto decorrem as eleições de metade do mandato de Donald Trump nos Estados Unidos da América.

JUSTIN LANE/EPA

A bolsa nova-iorquina fechou esta terça-feira em alta, depois de uma sessão muito contida, enquanto decorrem as eleições de metade do mandato de Donald Trump nos Estados Unidos da América (EUA).

Os resultados definitivos da sessão indicam que o seletivo Dow Jones Industrial Average avançou 0,68%, para os 25.635,01 pontos.

De dimensão similar, foram os ganhos dos outros emblemáticos índices, com o tecnológico Nasdaq a progredir 0,64%, para as 7.375,96 unidades, e o alargado S&P500 a valorizar 0,63%, para as 2.755,45.

Sinal da prudência que caracterizou a sessão em Wall Street na expectativa dos resultados eleitorais, o volume das trocas foi relativamente fraco, em relação ao das sessões precedentes.

“Não tivemos muita visibilidade, pelo que não tinha muito sentido investir nos mercados hoje [terça-feira]”, indicou Tom Cahill, da Ventura Wealth Management.

Este especialista avançou, como aliás a maior parte dos observadores dos mercados, que o cenário mais provável das eleições norte-americanas é o da alteração do domínio da Câmara dos Representantes, que pode passar dos republicanos para os democratas, uma vez que o Senado deve continuar controlado pelos republicanos.

Sem informação relevante nesta terça-feira e sob o efeito anestésico das eleições, os investidores “sentem que os índices continuam a recuperar alguma força, depois da forte queda no mês de outubro”, salientou Bill Lynch, da Hinsdale Associates.

Os mencionados índices caíram ao longo do mês de outubro em contexto de receios ligados ao programa de subidas das taxas de juro do banco central norte-americano, a Reserva Federal (Fed).

“É a evolução natural do mercado, que já recuperou metade das suas perdas desde o ponto mais baixo, no final do mês passado”, afirmou Cahill.

A Fed vai estar de novo no centro das atenções na quarta e quinta-feira, devido à reunião do seu comité de política monetária. Em todo o caso, a instituição dirigida por Jerome Powell não deve decidir aumentar as suas taxas antes do próximo mês.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)