Cultura

Criador de “Breaking Bad” estará a fazer um filme a partir da série

Ainda não é oficial e não se sabe que desenvolvimentos trará à história de Walter White e companhia, mas Vince Gillian estará a preparar um filme que deverá começar a ser produzido no próximo mês.

A série tinha como protagonista Bryan Cranston, no papel de Walter White, um professor de química que para deixar uma herança aos filhos começa a produzir metanfetaminas

Breaking Bad / AMC

O criador de “Breaking Bad”, Vince Gillian, estará a trabalhar num filme sobre a popular série norte-americana, que contava a história de um professor de química de liceu que, deprimido com o seu trabalho e diagnosticado com cancro, decidiu começar a produzir metanfetaminas para assegurar o futuro económico da mulher e dos filhos. A notícia, que por enquanto ainda não é oficial, foi avançada em primeira mão pela revista norte-americana Hollywood Reporter, tendo sido posteriormente confirmada pela revista Variety e noticiada pelo The Albuquerque Journal.

O filme terá duas horas de duração, segundo confidenciaram “fontes” não identificadas à Hollywood Reporter. Não se sabe, por ora, se o filme será exibido nos cinemas ou se está a criado para alguma produtora de televisão. A série foi exibida no canal AMC, que exibe atualmente a prequela “Better Call Saul”, que acompanha uma das personagens de “Breaking Bad”, o advogado Saul Goodman (que na verdade se chama “Jimmy” McGill e é interpretado pelo ator Bob Odenkirk), num período anterior ao retratado em “Breaking Bad”.

Não se sabe, para já, se o filme será também ele uma prequela à série, isto é, se retratará a vida de algumas personagens de “Breaking Bad” num período anterior ao que é retratado na série. Há também a hipótese de que os acontecimentos do filme se passem num período posterior ao que “Breaking Bad” acompanhou.

O criador da série será o autor do argumento, produtor executivo e possivelmente realizador do filme, segundo referem as mesmas fontes. Mark Johnson e Melissa Bernstein, produtores executivos quer de “Breaking Bad” quer de “Better Call Saul”, também estarão envolvidos no novo filme, que poderá seguir “a fuga de um homem raptado e a sua busca de liberdade”. A produção do filme deverá começar no próximo mês de dezembro, no Novo México (a série, recorde-se, passava na localidade de Albuquerque, a maior cidade do Novo México) e o negócio da evolução de “Breaking Bad” para filme poderá estar avaliado em um pouco menos de 50 milhões de dólares, perto de 43 milhões de euros à taxa de câmbio atual.

Sabe-se, por ora, que há um filme chamado “Greenbrier” que começará a ser filmado em Albuquerque no próximo mês de dezembro. Não se sabe se será o mesmo, mas há relatos de que possa ser um título falso (sem ligação evidente à série, para não levantar suspeitas) ou provisório.

Também não se sabe ainda que atores irão participar no filme e se as personagens principais de “Breaking Bad” — Walter White (Bryan Cranston), Jesse Pinkman (Aaron Paul) e Skyler White (Anna Gunn) — surgirão no novo filme.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)