BCP

BCP quase duplica lucros nos primeiros nove meses, para os 257,5 milhões de euros

O BCP teve lucros de 257,5 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, um acréscimo de 93,1% face ao período homólogo, anunciou esta quinta-feira o banco ao mercado.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O BCP teve lucros de 257,5 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, um acréscimo de 93,1% face ao período homólogo, anunciou esta quinta-feira o banco ao mercado.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o banco liderado por Miguel Maya anunciou que a atividade em Portugal teve um “evolução muito favorável”, tendo contribuído com 114,9 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2018, comparando com 800 mil euros no mesmo período de 2017.

Já a atividade internacional aumentou 7,2%, para 140,8 milhões de euros valor que compara com os 131,3 milhões de euros no mesmo período do ano passado.

Foi esta atividade internacional que esteve na base do crescimento de 0,8% no crédito a clientes (bruto), para os 51.150 milhões de euros, a 30 de setembro de 2018. Já na atividade em Portugal, o crédito a clientes caiu 0,8%, cifrando-se nos 37.629 milhões de euros até à mesma data (quando comparado com 30 de setembro de 2017).

“A evolução do crédito na atividade em Portugal foi determinada, por um lado, por uma importante redução dos NPE (-1,6 mil milhões de euros face ao final de setembro de 2017, fixando-se em 5,5 mil milhões de euros em 30 de setembro de 2018”, justificou o banco. Os non-performing exposures (NPE, na sigla em inglês) inclui o crédito malparado e os imóveis.

Por outro lado, salienta o banco liderado por Miguel Maya, houve em Portugal um “aumento de 4,2% da carteira de crédito performing no mesmo período”. “Neste contexto, é de salientar o crescimento da produção de crédito ao consumo e de crédito à habitação face aos primeiros nove meses de 2017, em boa parte suportado pelo significativo desenvolvimento dos canais digitais em curso”, concluiu.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Economia

Produtividade: a culpa é da mão de obra?

Fernando Pinto Santos

De quem é a culpa da baixa produtividade do trabalho em Portugal? Da mão de obra? Sim, mas é só um dos fatores. Falta também maior eficiência dos fatores produtivos e maior capacidade para criar valor

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)