Austrália

Austrália. Estado Islâmico reivindica ataque do esfaqueador

Um homem esfaqueou três pessoas e fez incendiar o próprio carro, tendo sido depois abatido pela polícia em Melbourne. O Estado Islâmico reivindicou este ataque, que foi parcialmente filmado.

Getty Images

Um homem que esfaqueou três pessoas em Melbourne, na Austrália, fazendo um morto e dois feridos, incendiou a seguir o próprio carro e foi alvejado pelas autoridades com um tiro no peito, tendo morrido no hospital. De acordo com a agência Amaq, o atentado foi agora reivindicado pelo autoproclamado Estado Islâmico (Daesh).

“O autor da operação de […] esfaqueamento em Melbourne é um dos combatentes do Estado Islâmico”, disse “uma fonte de segurança” a Amaq, segundo um comunicado da agência difundido através do serviço de mensagens Telegram e cuja autenticidade não pode ser verificada. “Trata-se de uma resposta para atacar os cidadãos da coligação”, acrescenta a nota, numa alusão à aliança de países que luta contra os jihadistas na Síria e no Iraque, liderada pelos Estados Unidos e de que a Austrália faz parte.

Segundo a CNN, depois de o atacante ter incendiado o carro, as autoridades encontraram garrafas de gás dentro do veículo — facto que levantou suspeitas de que podia estar a preparar um ataque de maior dimensão. O suspeito estava já referenciado pela agência de segurança do país e foi identificado como tendo origem somali. Vivia agora no noroeste de Melbourne.

[Veja em baixo vídeos que mostram como o atacante tentou esfaquear agentes da polícia]

Quando a polícia chegou ao local, o homem agrediu um dos agentes através da janela do carro, ameaçando-os com uma faca quando saíram da viatura para o confrontar, como se vê no vídeo abaixo, partilhado no Twitter da Nine News Australia.

As vítimas agredidas foram logo encaminhadas para o hospital, depois de terem sido socorridas no local. Sabe-se apenas que uma delas foi atacada na zona do pescoço e outra na cabeça, estando ambas em estado grave.

O incidente ocorreu numa zona de escritórios de Melbourne, no centro da cidade, numa altura em que as pessoas saíam do local de trabalho.

Testemunhos de pessoas que se encontravam na zona de escritórios dizem ter ouvido um tiro, por volta das 16h20, hora local (5h20 em Lisboa), e logo se depararam com o carro em chamas.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ensino Superior

As propinas: uma história muito mal contada

Jose Bento da Silva

A questão não são as propinas. Isso é de fácil resolução. O desafio é: qual o modelo de gestão que queremos para as nossas universidades? O modelo atual não passa de um circo pago pelos contribuintes.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)