Estados Unidos da América

Novo balanço aponta para pelo menos nove mortos em fogo na Califórnia

Um novo balanço das autoridades norte-americanas aumentou de cinco para nove o número de pessoas que morreram num incêndio no norte da Califórnia que já destruiu 6.453 habitações e consumiu 362 km2.

MIKE NELSON/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Um novo balanço das autoridades norte-americanas aumentou de cinco para nove o número de pessoas que morreram num incêndio no norte da Califórnia que já destruiu 6.453 habitações e consumiu 362 quilómetros quadrados.

O xerife do condado de Butte, Korey Honea, disse na sexta-feira que sete das pessoas foram encontradas carbonizadas dentro dos seus carros, uma próxima da sua viatura e uma outra no interior de uma habitação.

As autoridades adiantaram que têm a informação de que pelo menos 35 pessoas estão dadas como desaparecidas em resultado de um incêndio na vila de Paradise, a w2290 quilómetros de San Francisco, e sublinharam que este fogo é já o mais destrutivo do estado da Califórnia, desde que há registos.

Um responsável do Departamento de Florestas e Proteção contra Incêndios da Califórnia, Scott McLean, explicou que as equipas de bombeiros desistiram de combater as chamas e, em vez disso, deram prioridade a ajudar a salvar pessoas.

“Quase a comunidade de Paradise está destruída. É esse o tipo de devastação”, enfatizou.

Com os incêndios também ativos no sul da Califórnia, as autoridades estaduais estimam em 250 mil o número total de pessoas forçadas a sair de suas casas. As ordens de evacuação incluíram a cidade de Malibu, onde habitam 13 mil pessoas, entre elas algumas das maiores estrelas de Hollywood.

O Presidente Donald Trump emitiu uma declaração de emergência fornecendo fundos federais para os condados de Butte, Ventura e Los Angeles.

Quando Paradise foi evacuada, a ordem provocou o êxodo desesperado de muitas pessoas que ficaram presas no trânsito e que foram obrigadas a abandonar os seus veículos para fugir a pé.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Moçambique

A extradição de Chang e o futuro da Frelimo

Manuel Matola

Apesar da complexidade do caso e da gravidade das acusações contra Manuel Chang, uma eventual extradição para Moçambique garantiria de que o processo-crime que corre em Maputo teria uma morte natural.

África do sul

África do Sul – Que Futuro?

Jaime Nogueira Pinto

Em vésperas de eleições, a República da África do Sul vive dias instáveis, entre a democracia e a cleptocracia. E radicalização de um ANC em quebra eleitoral pode por em causa os equilíbrios do regime

Governo

A famiglia não se escolhe? /premium

Alberto Gonçalves
364

Se ainda não se restringiu o executivo aos parentes consanguíneos ou afins do dr. Costa, eventualidade que defenderia com empenho, a verdade é que se realizaram amplos progressos na área do nepotismo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)