Rádio Observador

Bruno de Carvalho

Sporting decide daqui a um mês se mantém suspensão de sócio de Bruno de Carvalho

A Assembleia Geral para discutir e votar a suspensão de sócio de Bruno de Carvalho está agendada para o dia 15 de dezembro. Eventual processo de expulsão não está, para já, previsto.

RODRIGO ANTUNES/LUSA

A Assembleia Geral (AG) para discutir e votar a suspensão de sócio de Bruno de Carvalho está agendada para o dia 15 de dezembro, sendo que a 30 de novembro haverá uma primeira para discutir o orçamento.

Vários órgãos de comunicação avançaram que a reunião serviria para votar a expulsão do ex-presidente do Sporting, mas, para já, essa possibilidade não está prevista, apurou o Observador. A razão é simples: a AG vai apenas debater os recursos apresentados por sócios e ex-dirigentes que foram suspensos ou expulsos. No caso de Bruno de Carvalho, até agora, nenhuma medida de expulsão foi aplicada — apenas a de suspensão de sócio, que está, atualmente, em vigor.

O ex-presidente do Sporting está, assim e apenas, no lote de ex-dirigentes que foram suspensos e que recorreram à Mesa da Assembleia Geral para tentar reverter a decisão. Sócios com ordem de expulsão apenas dois: Elsa Judas e Trindade Barros, que foram Presidente e vice-Presidente da Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral. E serão apenas estes os casos analisados na reunião marcada para 15 de dezembro.

A confusão terá nascido do facto de o anterior Conselho Fiscal e Disciplinar, na véspera das eleições que escolheram Frederico Varandas e os novos órgãos sociais do clube, ter recomendado “vivamente” a expulsão de Bruno de Carvalho. Foi, porém, apenas uma recomendação para processos disciplinares futuros e não a aplicação de uma sanção.

Essa hipótese não está, ainda assim, totalmente, afastada, caso avance um novo processo contra Bruno de Carvalho. Se, de facto, o atual Conselho Fiscal e Disciplinar decidir aplicar a sanção de expulsão nesse novo processo, a sequência de passos será a mesma: o ex-dirigente pode recorrer para a AG e, numa nova reunião, a Mesa decidirá se mantém ou anula essa decisão.

Na noite desta terça-feira, Rogério Alves, presidente da Mesa da Assembleia Geral, em entrevista à Sporting TV, explicou que é essa apenas a função da MAG: receber os recursos e decidir se mantém a sanção inicial ou se a revoga. No caso das suspensões, os recursos são têm efeito suspensivo (ou seja, mesmo antes da decisão final da AG, os sócios já estão suspensos, como é o caso de Bruno de Carvalho). No caso das expulsões, os recursos travam a execução da sanção aplicada, o que significa que apenas depois da decisão na AG de 15 de dezembro se saberá se Elsa Judas e Trindade Barros serão, de facto, expulsos do clube ou se o processo disciplinar cai por terra.

Os dois integraram a polémica Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral, nomeada por Bruno de Carvalho, que visava substituir a MAG de Jaime Marta Soares. Trindade Barros acabaria até por integrar a lista que o ex-presidente leonino apresentou às eleições e que foi recusada.

O ex-líder do Sporting, detido no passado domingo, no âmbito da investigação ao ataque à Academia, foi destituído no dia 23 de junho e impedido de concorrer às eleições do clube, das quais resultou a eleição de Frederico Varandas, atual presidente do Sporting.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: soliveira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)