Começa esta quinta-feira mais uma edição do Lisboa Games Week, que decorre até domingo na FIL, em Lisboa. No ano passado, o maior evento de videojogos em Portugal recebeu mais de 55 mil pessoas, que se deslocaram até ao Parque das Nações para descobrirem as principais novidades do mundo do gaming. À semelhança do que aconteceu em 2017, nesta quinta edição vai ser possível encontrar um pouco de tudo, desde os videojogos mais relevantes, até aos jogos indie, passando pelo cosplay e pelo merchandising. O Observador reuniu o principal.

Espaço Indie: porque os videojogos também são independentes

A grande novidade da edição deste ano do Lisboa Games Week é o Indie X, que irá levar até à FIL alguns dos melhores jogos de produtoras, estúdios e autores independentes. Neste espaço, vão estar representados empresas de videojogos nacionais e internacionais. 55 destes estúdios independentes — ou seja, que não trabalham para grandes distribuidoras, como a Electronic Arts ou a Sony — vão competir pelo prémio de melhor jogo do evento, no valor de 5 mil euros.Vão também ser anunciados os 11 finalistas do programa de incentivo ibérico PlayStation Talents.

A febre dos mais jovens: YouTubers

Windoh, Ric Fazeres ou Nuno Agonia podem parecer nomes pouco comuns, mas entre os mais jovens são tão importantes como qualquer outra celebridade. Jogam videojogos e partilham vídeos com peripécias no YouTube, a maior plataforma de partilha online deste formato no mundo. O que fazem é mais do que uma profissão e alguns acumulam milhões de seguidores, literalmente. Estes e outros YouTubers vão estar presentes na semana dedicada aos videojogos para tirar selfies e dar autógrafos aos fãs. Se for como em edições anteriores, uma coisa está garantida: milhares de crianças e jovens a fazer fila para um momento com eles.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Dos jogos do momento ao clássicos de sempre

Um dos pontos de maior interesse desta quinta edição do Games Week vai ser os muitos jogos inéditos em antevisão e também os títulos de maior relevo que ainda marcam tendências, como PUGB [Playerunknown’s Battlegrounds] ou Fortnite. Além de espaços para os visitantes poderem jogar estes e outros jogos do momento, vai também existir uma área dedicada à nostalgia, onde os mais novos vão poder testar consolas e computadores retro, máquinas de arcada com o PacMan ou Space Invaders e até jogos mais tradicionais, como os flippers.

PlayStation, Nintendo, Xbox e PC: no mundo das jogos, nenhuma plataforma está a mais

Como é habitual neste evento, as principais empresas de consolas de jogos, como a Sony, a Nintendo e a Microsoft, vão apresentar as últimas novidades para a PlayStation 4, a Nintendo Switch e Xbox One, respetivamente. A Sony vai levar jogos como o Marvel’s Spider-Man, lançado em setembro, e Call of Duty: Black Ops 4, de início de outubro.

Ainda há espaço para mais um “Call of Duty”?

Já a Nintendo vai contar com a sua maior presença até hoje em qualquer evento nacional, apresentando alguns dos seus jogos mais esperados, como Pokémon Let’s Go ou Super Smash Bros. Ultimate, e realizar torneios de Splatoon 2 para desafiar os fãs. A Xbox também promete novidades. Além de uma antecipação da Xbox One X, a versão mais potente da Xbox One, vão se mostrados jogos que só serão lançados em 2019, como Devil May Cry 5 ou Kingdom Hearts 3. Este último também vai estar no stand da Sony, para a PS4.

Os jogadores de computador não foram esquecidos e fabricantes como a HP ou Asus também vão estar presentes (com as marcas Omen e ROG, as gamas dedicadas ao gaming mais intenso), com produtos para os visitantes experimentarem.

eSports: a competição em videojogos também passa pelo Lisboa Games Week

Para quem quer levar a semana lisboeta dedicada aos videojogos num tom mais competitivo, vai poder participar ou assistir aos vários torneios que vão decorrer nos stands do evento. Desde a final da Master League Portugal de CS:GO até a uma “Battle Royal Arena”, que vai pôr 100 pessoas a jogar ao mesmo tempo e no mesmo sítio o jogo Fornite, neste evento o que não vai faltar é competição.

Os videojogos também podem ensinar

O Serviço Educativo vai voltar à FIL com formações destinadas aos milhares de estudantes nacionais. Palestras sobre impacto positivo dos videojogos, workshops que ensinam a dar os primeiros passos a quem quer criar um videojogo ou uma aula para se aprender a fazer uma app para smartphones, são apenas algumas das iniciativas deste auditório que quer mostrar que os videojogos também podem ensinar, além de divertir. Este decorrerá no Auditório ISCTE-IUL, com a colaboração com a Direção-Geral de Educação. O programa completo pode ser consultado aqui.

Cosplay não é só na Comic Con, também é no Lisboa Games Week

A Comic Con pode ser conhecida pelos cosplayers, mas no Lisboa Games Week também há espaço para estes fãs dedicados. Fazer cosplay significa vestir-se como as personagens da cultura Pop — da banda desenhada aos videojogos –, e pensar nisso o Lisboa Games Week vai ter dois concursos, no sábado e domingo, para premiar o melhor fato. E há um incentivo — quem fizer cosplay entra de graça, mas desde que cumpra todas as regras (as inscrições fecharam a 11 de novembro).

Do sapo Cocas a “Breaking Bad”: o melhor do cosplay deste sábado na Comic Con

Filas, muitas filas

À semelhança de anos anteriores, o evento de videojogos vai decorrer em dois pavilhões da FIL. Com mais de 55 mil visitantes esperados (pelo menos no sábado e no domingo), uma coisa vai ser certa: as filas e mais filas. Isto significa que vai ser precisa muita paciência, quer seja para pedir um autógrafo a um YouTuber favorito ou para experimentar as últimas novidades do gaming. Pode sempre levar uma consola portátil para, pelo menos, poder jogar enquanto espera.