A Boeing terá, alegadamente, retido informações sobre os potenciais riscos do novo sistema de controlo de voo do modelo de avião que caiu na Indonésia em outubro. Na origem da queda, que provocou a morte de todos os 189 ocupantes, terão estado complicações com esse mesmo novo sistema de controlo de voo. Agora, uma associação de pilotos norte-americanos, citada pela CNN, afirma que “eles [a Boeing] não forneceram todas as informações que necessitamos quando pilotamos um avião”. O porta-voz do grupo, Dennis Tajer, denunciou outras lacunas do manual do modelo Boeing 737 Max.

Na segunda-feira, as autoridades indonésias já tinham afirmado que acreditavam que a situação que a tripulação enfrentou  não estava prevista no manual de voo do avião e que os pilotos não teriam tido o treino necessário para estarem aptos a conduzirem o aparelho.

Responsáveis de sindicatos de pilotos norte-americanos também disseram à Reuters que os pilotos não tinham consciência dos potenciais riscos do cenário que acabaram por enfrentar. A 28 ou 29 de novembro — quando se completa um mês do acidente — será conhecido o primeiro relatório preliminar.