A seleção portuguesa de futebol de sub-21 joga frente à invicta Polónia, na sexta-feira, em Zabrze, e a 20 de novembro, em Chaves, a presença no Europeu de 2019, num ‘play-off’ para o qual parte, historicamente, como favorita.

Vice-campeão em 1994 e 2015 e terceiro em 2004, Portugal tenta a terceira presença consecutiva e oitava da sua história na fase final, desde 1994, enquanto a Polónia, que nunca ficou no ‘top 4’, procura a segunda, após ter sido anfitriã em 2017.

A formação lusa tem história e também presente, já que o selecionador Rui Jorge dispõe de uma série de jogadores de grande qualidade e talento, que, no entanto, falharam, parcialmente, no apuramento, ao ficarem-se pelo segundo lugar do Grupo 8.

Portugal não conseguiu superar a Roménia – podendo lamentar-se de um penálti que desperdiçou na receção (1-2) aos romenos aos 90+10 minutos -, e vai decidir tudo em dois jogos, perante uns polacos que acabaram a fase de qualificação sem derrotas.

No Grupo 3, a Polónia, que marcou em todos os jogos, somou seis vitórias e quatro empates, acabando a um ponto da Dinamarca, com a qual somou quatro pontos (3-1 em casa e 1-1 fora), e muito à frente de Geórgia, Finlândia, Lituânia e Ilhas Faroé.

Apesar de ter não ter perdido, o conjunto de Leste cumpriu uma ‘estranha’ fase de apuramento, ao não conseguir, nomeadamente, vencer as Ilhas Faroé, que acabaram no último lugar: 2-2 fora, salvo por um golo aos 90+4 minutos, e 1-1 em casa.

O percurso do ‘onze’ de Czeslaw Michniewicz ficou marcado pelos 10 golos — seis dos quais de penálti – de David Kownacki, jogador dos italianos da Sampdoria. Na ‘Serie A’, em 2018/19, soma um golo, em 10 jogos, sempre como suplente utilizado.

De acordo com Rui Jorge, a Polónia é uma equipa “bastante sólida”, que tem “jogadores altos” e pode “criar dificuldades nas bolas paradas”, sendo, mesmo defendendo num “bloco baixo”, “perigosa no ataque rápido e no contra-ataque”.

Para fazer frente ao conjunto polaco, Portugal apresenta-se quase na máxima força, com todos os elementos da equipa ‘base’ da qualificação convocados, excetuando o lateral Diogo Dalot, jogador do Manchester United, que se encontra lesionado.

Em matéria de novidades, destaque para a presença do médio benfiquista Gedson Fernandes, que tinha entrado nas últimas convocatórias da seleção principal e já se estreou mesmo na seleção ‘AA’, mas ‘baixou’ agora aos sub-21, pelos quais não atuou nenhum minuto na fase de qualificação.

Rui Jorge ainda poderia ter mais quatro jogadores que foram convocados por Fernando Santos para os últimos jogos da fase de grupos da Liga das Nações, casos de Rúben Dias, Rúben Neves, Renato Sanches e Gonçalo Guedes.

O encontro da primeira mão do ‘play-off’ entre Portugal e a Polónia realiza-se na sexta-feira, no Estádio Ernesta Pohla, em Zabrze, a partir das 17:00 (em Lisboa), com arbitragem do búlgaro Georgi Kabakov.

A eliminatória decide-se, depois, em Chaves, pelas 17:00 do dia 20 de novembro, com o vencedor a rumar à fase final do Europeu de sub-21 de 2019, que se realiza na Itália e São Marino, entre 16 e 30 de junho. O sorteio realiza-se a 23 de novembro.