Muitas vezes, pais, cuidadores e jovens recorrem à Internet quando querem saber o significado de uma palavra ou quando pretendem entender determinados sintomas na área da saúde infantil. O problema: há muita informação disponível, mas surge dispersa, não assinada e nem sempre é credível. Foi a pensar nesta questão que a Associação de Apoio à Saúde (ASAU) decidiu criar, em parceria com o Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, a Pedipedia, uma enciclopédia pediátrica portuguesa disponível online, elaborada por profissionais de saúde.

A enciclopédia é de acesso gratuito e pretende ser um recurso pedagógico “para apoio à prática clínica, à formação na área da saúde infantil e, simultaneamente, um meio de divulgar conhecimentos práticos na área da saúde”, diz o Instituto de Ciências da Saúde em comunicado. O projeto é destinado essencialmente aos profissionais de saúde, às famílias (pais e cuidadores) e aos jovens e adolescentes, sendo que cada tema abordado tem em conta os respetivos destinatários. O site tem duas versões: a das famílias e a profissional.

A patologia pediátrica mais complexa exige uma abordagem interdisciplinar, a cargo de especialistas de múltiplas áreas médicas e cirúrgicas, sediados nos grandes centros de referência. A Internet é a fonte de informação clínica mais consultada por estes profissionais”, acrescenta o Instituto de Ciências da Saúde.

Tendo em conta que, atualmente, o português é a quinta língua mais utilizada online, com mais de 120 milhões de utilizadores, a Pedipedia quer também ter em conta as crianças, jovens e adolescentes doentes nos países lusófonos, que geralmente são “assistidos por médicos/profissionais de saúde sem formação especializada na área pediátrica”, utilizando muitas vezes a Internet para esclarecer as suas dúvidas. Outro objetivo é, por isso, “apoiar os médicos e restantes profissionais de saúde, que na sua prática diária não têm a possibilidade de recorrer a hospitais terciários ou médicos especialistas, tirando partido de novas tecnologias de informação e comunicação”.

A pesquisa de informação nesta enciclopédia pode ser feita através de quatro formas: procura direta pelo nome, por especialidade, por sinais e sintomas e por regiões anatómicas.

Uma das formas de procurar um determinado artigo na PEDIPEDIA é através da escolha da parte do corpo humano a que se refere.

A enciclopédia foi editada por um grupo de médicos e docentes universitários e envolveu a coordenação de especialistas de cerca de 50 áreas da medicina clínica, assessorados por cerca de 250 profissionais de saúde. Os profissionais de saúde vão editar e atualizar periodicamente o projeto, sendo que os componentes presentes na enciclopédia poderão, no futuro, vir a ser utilizados como textos de apoio nas escolas.