O líder norte-coreano, Kim Jong-un, deu instruções para o desenvolvimento de infraestruturas em Sinuiju, a principal cidade fronteiriça com a China, com o objetivo de aumentar a cooperação económica com Pequim, consideram os observadores.

Segundo a agência estatal norte-coreana, KCNA, Kim examinou “detalhadamente o plano de construção” de Sinuiju e o modelo para se tornar numa cidade do futuro “de acordo com a procura da era atual”.

O plano de renovação da cidade passa pela melhoria das áreas industriais e remodelação da estação ferroviária e aeroporto, bem como pelo “aumento da produção de eletricidade, melhoria do sistema de fornecimento de energia, usando energias naturais” e resolução dos problemas de aquecimento e abastecimento de água, explicou a KCNA.

As autoridades preveem ainda a construção de residências, edifícios públicos, arranha-céus, zonas verdes, hotelaria e restauração, teatros, cinemas e infraestruturas desportivas.

A cidade norte-coreana está localizada no noroeste do país asiático, e a fronteira com a cidade chinesa de Dandong é o rio Amnok (chamado Yalu na China). Sinuiji é considerada um símbolo de cooperação e intercâmbio económico entre os dois países.

“A Coreia do Norte visa o desenvolvimento de Sinuiju para maximizar os efeitos da cooperação económica com a China e com a Coreia do Sul”, considerou o professor da Universidade Nacional de Gyeongsang, Coreia do Sul, Park Jong-Cheol, à agência de notícias sul-coreana Yonhap.