Ao contrários dos restantes fabricantes de automóveis eléctricos, que recorrem a tomadas de ligação à rede genéricas, ainda que (lamentavelmente) não normalizadas, a Tesla adoptou uma ficha sua (que usa exclusivamente nos EUA e Canadá), muito pequena para não estragar a estética do Model S. Já nas versões destinadas à Europa, a tomada da marca é substituída pela mennekes type 2, que também pode ser ligada aos nossos postos públicos de baixa potência, mas não aos de carga rápida, a menos que se recorra a um adaptador CHAdeMO/mennekes. Porém, agora que vem aí o Model 3, que em breve vai vender cinco vezes mais do que os Model S e X juntos, e começam a existir diferentes redes de carga rápida na Europa (e também nos EUA), a tomada distinta ameaçava ser mais um problema do que um trunfo.

A oportunidade para a mudança chegou pela mão do mais acessível dos eléctricos deste construtor americano, que na versão europeia (nas poucas unidades já produzidas) surge equipado com a ficha CCS Combo, que começa a ser o novo standard no Velho Continente para carga rápida. Sendo óbvio que, assim que surjam os restylings ou as novas gerações dos Model S e X, também elas recorrerão à CCS Combo.

Para tornar os seus Superchargers instalados na Europa compatíveis com o novo Model 3, a marca americana vai modificar  o seu equipamento, tornando-os dual chargers, onde o cabo de alimentação com ficha mennekes coabita com o novo CCS Combo, isto porque vai ser necessário continuar a alimentar a frota existente. De momento, a Tesla tem uma rede com 430 estações de carga do lado de cá do Atlântico,  com um total de 3.600 pontos de carga a 120 kWh e todos eles passarão a oferecer os dois tipos de ligação.

Esta decisão de aderir ao novo standard europeu em matéria de tomadas abre à Tesla dois tipos de possibilidades, sendo que a primeira é permitir o acesso aos seus Superchargers dos veículos da concorrência. A segunda tem a ver com a possibilidade de os novos modelos (para já apenas o Model 3) poderem ser alimentados a partir das redes europeias de alta potência que estão a ser criadas, como a Ionity, sem qualquer tipo de limitação e em maior segurança.

Paralelamente, a mais volumosa tomada CCS  Combo, que poderá limitar ligeiramente a criatividade dos designers da Tesla, vai permitir montar cabos mais grossos e refrigerados, assegurando o acesso a postos de carga com mais potência e, logo, com períodos mais curtos de recarga.