A Ordem dos Psicólogos está a investigar Alexandre Machado e Fernando Mesquita, os dois psicólogos que participam no programa “Casados À Primeira Vista” da SIC, apurou a Rádio Renascença. Segundo as regras da Ordem, os psicólogos não podem fazer “qualquer tipo de intervenção psicológica no espaço mediático, independentemente de qualquer consentimento dos participantes”. De acordo com a Comissão de Ética da Ordem dos Psicólogos, “fica pouco claro o que se espera dos psicólogos participantes”.

A Shine Iberia, produtora do programa, já veio defender os dois psicólogos: “Não podemos considerar que qualquer conversa seja intervenção psicológica só porque se trata de um psicólogo, os psicólogos são pessoas”, disse Tiago Lopes Lino, psicólogo responsável pelo formato, à Renascença. “O que acontece ali é que há um aconselhamento que nem é psicológico, é um aconselhamento com especialistas. Uns são psicólogos, outros são coaches. Embora com formação em psicologia e coaching, eles dão apenas a sua opinião”, considera.

Ainda antes de “Casados À Primeira Vista” ir para o ar, a SIC solicitou à Ordem dos Psicólogos um parecer da Comissão de Ética sobre o programa. Esse pedido foi encaminhado para o Conselho Jurisdicional, composto por cinco psicólogos e um jurista. Até esta terça-feira, esse Conselho ainda não tinha enviado qualquer parecer à SIC, que já transmitiu vários programas desde meados de outubro, quando o formato estreou em Portugal.

No entanto, de acordo com a Rádio Renascença, a Comissão de Ética da Ordem dos Psicólogos enviou dois pareceres que respondem “genericamente” às questões colocadas pela produtora sobre a exposição pública de psicólogos. Segundo esses pareceres, “os psicólogos, quando solicitados a comentar casos particulares, pronunciam-se sobre os problemas psicológicos em questão mas não sobre os casos particulares”. Além disso, o código deontológico dos psicólogos prevê “a impossibilidade de ser levado a cabo qualquer tipo de intervenção psicológica no espaço mediático, independentemente de qualquer consentimento dos participantes”.

Outro problema apontado pela Ordem dos Psicólogos é a forma como um dos psicólogos se apresenta no programa. Alexandre Machado diz ser um neuropsicólogo clínico “especialista na área da avaliação e diagnóstico”, quando na verdade é psicólogo júnir, o nome que a Ordem dá aos estagiários: “Um psicólogo júnior tem de se apresentar como psicólogo júnior, isso é claríssimo. Tem de ser claro para toda a gente que é psicólogo júnior, que está em supervisão”, sublinha presidente da Comissão de Ética da Ordem dos Psicólogos.

À Rádio Renascença, Alexandre Machado explicou que se apresenta como neuropsicólogo por estar registado na British Psychological Society e ter exercido neuropsicologia em Inglaterra quando terminou o mestrado na Universidade Católica. De resto só lhe falta terminar o curso de formação obrigatório, garantiu. De qualquer modo, a Ordem dos Psicólogos insiste que um psicólogo que tenha exercido no estrangeiro deve pedir equivalências ou inscrever-se na Ordem.