Os dados de até 500 milhões de clientes que estiveram em hotéis da maior cadeia do mundo, a Marriott, podem estar em risco, por terem sido invadidos por uma “parte não autorizada” desde 2014. Em causa está a base de dados de uma cadeia, a Starwood, com quem a Marriott se fundiu em 2016, criando a maior cadeia a nível global.

O anúncio da falha de segurança foi feito esta sexta-feira, com a Marriott a garantir que já tomou medidas para investigar a falha de segurança que terá ocorrido nos servidores da Starwood. Uma investigação que foi terminada a 19 de novembro determinou que houve, de facto, como se suspeitava, acessos por “parte não autorizada” desde há vários anos, possivelmente desde 2014.

“A empresa ainda não acabou de identificar toda a informação duplicada que existe na base de dados, mas acredita que a informação de até cerca de 500 milhões de hóspedes que fizeram reservas em hotéis da Starwood.

Para cerca de 327 milhões de clientes, acrescentou a empresa, os dados em causa incluem o nome, o endereço postal, o número de telefone, o número de passaporte, as informações de conta Starwood, data de nascimento, género, datas de chegada e saída, datas de reserva de preferências de contacto. Não existe, para já, informação sobre se os cartões de crédito também foram visados.