Rádio Observador

Universidades

Ranking FT. Católica continua a ser a melhor Business School em Portugal

1.478

Portugal tem quatro escolas de negócios entre as 95 melhores da Europa: Católica-Lisbon, Nova SBE, Porto Business School e ISCTE. Esta última foi a portuguesa que mais subiu em relação ao ano passado.

Portugal é o quinto país com mais escolas representadas no ranking do jornal Financial Times

António Cotrim/LUSA

Portugal mantém quatro escolas de negócios entre as 95 melhores da Europa, com a Católica Lisbon School of Business & Economics a manter-se como a melhor portuguesa nos Rankings Globais do Financial Times. No entanto, a Católica cai duas posições em relação ao ano anterior, movimento em que é acompanhada por todas as universidades portuguesas presentes nesta lista, exceto pela ISCTE Business School. Esta instituição de ensino superior subiu 17 posições e, no ranking global, protagonizou a quarta subida mais expressiva.

A estas duas escolas de negócios portuguesas somam-se a Nova SBE e a Porto Business School. Com estas quatro universidades a surgirem na lista do Financial Times, Portugal torna-se o 5.º país com mais escolas de gestão representadas no ranking que continua a ser liderado pela London Business School.

Há uma década que, na classificação feita pelo jornal Financial Times, a Católica é considerada a melhor escola de negócios de Portugal. Este ano, na classificação global, surge na 28.ª posição, uma descida em relação ao 26.º lugar que ocupava no ranking de 2017.

Congratulando-se com os resultados alcançados, a direção da Católica aponta para os resultados visíveis na empregabilidade dos seus alunos. “É motivo de grande orgulho verificar o impacto positivo daquilo que fazemos, e como a excelência e a qualidade do ensino e investigação da nossa escola, são rampa de lançamento de um brilhante futuro profissional dos nossos alunos, o que nos torna também na sua primeira escolha para formação enquanto executivos”, sublinha, em comunicado, Nuno Fernandes, diretor da Católica Lisbon School of Business & Economics.

“Igualmente importante é a confiança do mercado de trabalho nos nossos graduados, que se manifesta em valores de empregabilidade ímpares — 92% dos alunos colocados no mercado de trabalho nacional e internacional em menos de 3 meses, bem como nos níveis de progressão de carreira num prazo de 3 anos (9.º lugar a nível mundial)”, lê-se ainda no comunicado da Católica.

Depois da Católica, surge a Nova School of Business and Economics que em 2018 alcança o 30.º lugar (estava em 25.º no ano anterior), seguindo-se a Porto Business School (cai de 59.º lugar para o 62.º).

Apesar da queda, Daniel Traça, dean da Nova SBE, lembra que nos últimos sete anos a escola quadruplicou a sua procura nos seus mestrados, sendo já 40% deles internacionais. Em comunicado, o responsável pela instituição de ensino superior diz acreditar que a mudança para o novo campus em Carcavelos “promete um futuro de melhoria, um futuro que irá reforçar a principal missão de atrair talento, produzir e partilhar conhecimento”.

A última escola de negócios a aparecer é também a única que consegue uma subida no ranking, de 17 lugares, só tendo sido ultrapassada na subida por três escolas europeias. Assim a ISCTE Business School sobe da 80.ª posição para a 63.ª.

“Esta distinção culmina um ano de sucesso ao nível dos FT Rankings, depois da escola ter alcançado, em junho, a 27.ª posição na lista dos melhores mestrados em Finanças e, em setembro, a 77.ª posição na lista dos melhores mestrados em Gestão”, escreve a direção do ISCTE, em comunicado.

“Muitos fatores têm contribuído para esta afirmação internacional, mas não podemos esquecer que a IBS é a única escola de gestão pública, acreditada internacionalmente, no concelho de Lisboa, tirando o máximo partido da atratividade atual da cidade“, conclui o diretor José Paulo Esperança, citado no comunicado de imprensa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: akotowicz@observador.pt
Universidades

Os concursos de promoção do pessoal docente

Gonçalo Homem de Almeida Correia
105

É preciso pensar de outra forma o ensino superior valorizando os que estão dentro e apostando nos que vêm de fora com outras ideias. E isso não passa necessariamente por gastar mais dinheiro.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)