Volkswagen

Está confirmado! O VW de 18.000€ vai mesmo avançar

O Observador já tinha noticiado que a VW se preparava para lançar um pequeno crossover eléctrico por cerca de 18.000€. Um quadro da marca vem agora confirmar tratar-se do substituto do e-up!

Ainda mal refeitos da (boa) notícia que a VW se preparava para lançar na Europa o Neo, o primeiro eléctrico da gama I.D., por um próximo dos 23.000€ na Alemanha e entre 28.000€ a 29.000€ em Portugal, eis que a Bloomberg revelou que, segundo uma fonte no grupo alemão, a Volkswagen se preparava para igualmente colocar no mercado um crossover (um SUV ainda mais civilizado) mais pequeno, por apenas 18.000€. Informação essa que foi agora confirmada por um alto quadro da marca alemã.

Aproveitando o Salão de Los Angeles, ainda a decorrer na Califórnia, a Insideevs falou com Matt Renna, vice-presidente da Volkswagen North America e grande conhecedor de veículos eléctricos, ou não tivesse ele sido, durante algum tempo, gestor de produto na Tesla. Questionado sobre o novo e barato veículo eléctrico que a VW estaria a preparar, segundo a Bloomberg, Renna começou por confirmar a notícia, para de seguida apaziguar o espírito dos jornalistas americanos, ao garantir que não ia bater-se com a Tesla. Pelo menos no mercado americano, uma vez que o crossover de que falava a notícia irá ser específico para o mercado europeu.

De acordo com o vice-presidente do grupo alemão nos EUA, o veículo em causa, que confirma “ser pequeno”, não pertence ao conjunto de modelos a criar com base na nova plataforma I.D., que visa dar origem a modelos a partir das dimensões do Golf, sendo que este novo eléctrico será de bitola inferior, não chegando mesmo aos 4 metros. Segundo Renna, o crossover eléctrico será o sucessor do actual e-up!, o pequeno citadino alimentado por bateria, que crescerá em comprimento (para transportar mais baterias) e em altura (para se assumir como crossover).

De momento com apenas 3,6 metros de comprimento, não será necessário que o sucessor do up! cresça muito para oferecer um habitáculo muito maior, uma vez que a troca do motor de combustão (e respectiva caixa de velocidades) por um substancialmente menos volumoso motor eléctrico (e dois carretos redutores) permite conceber uma frente mais curta, favorecendo o espaço interior.

Na prática, o que a VW está a preparar é um concorrente do K-ZE da Renault, modelo que de momento está previsto apenas para a China, mas que necessariamente chegará ao mercado europeu. Com menos de 4 metros de comprimento, este eléctrico exibe igualmente uma carroçaria tipo SUV, com uma autonomia em NEDC de 250 km, contra os actuais 160 km do actual e-up!.

De acordo com as características do modelo, tudo indica que pode ser desta que a VW vai mesmo avançar com o Taigun, o pequeno veículo tipo SUV que apresentou em 2012 e que nunca chegou a ver a luz do dia. O Taigun é elegante e atraente, mais parecendo um brinquedo, características ideais para um crossover eléctrico a comercializar num segmento inferior ao mais pequeno dos modelos a produzir com base na plataforma I.D..

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)