Uma grávida de nove meses foi agredida esta terça-feira, numa rua de Alverca, no concelho de Vila Franca de Xira, pelo companheiro. O homem, de 28 anos, foi detido por um agente do corpo de intervenção da Unidade Especial de Polícia (UEP) que se encontrava de folga. O momento da detenção foi captado em vídeo por pessoas que estavam no local. O suspeito foi, entretanto, libertado.

Várias testemunhas que se encontravam no local disseram à TVI que o homem deu duas chapadas à mulher e chegou mesmo a colocar-se em cima da barriga, tentando asfixiá-la. O vídeo mostra a mulher, de 32 anos, já estendida no chão e com as mãos a tapar a cabeça, depois das agressões. O homem — que assume estar alcoolizado — vai tentando aproximar-se da mulher e falando com ela e com outras pessoas que se encontravam no local.

[Veja o vídeo que mostra um polícia a imobilizar o agressor da mulher grávida]

https://www.youtube.com/watch?v=ZJk7Ojkkt6g

Segundo fonte policial, em declarações à agência Lusa, tudo aconteceu às 13h20, na via pública, e presenciados por um agente do corpo de intervenção da UEP, que estava de folga, e que, naquele momento, circulava na estrada onde ocorriam as agressões. Este elemento da UEP parou a viatura em que seguia, “interveio em auxílio da vítima” através de um golpe das artes marciais (jiu jitsu) conhecido como mata-leão.  O agente aproximou-se pelas costas do agressor e fez-lhe uma chave com os braços em torno do pescoço, asfixiando-o até este perder os sentidos. Trata-se de uma técnica polémica, uma vez que, mal aplicada, pode resultar na morte de quem a sofre.

Depois de uns segundos inconsciente, o agressor levantou-se e ainda tentado agredir o polícia, chegando mesmo a danificar-lhe a viatura e a rasgar-lhe a roupa.

O agressor reagiu de forma agressiva contra o polícia, danificando a viatura particular do mesmo (com pontapés) e ainda lhe rasgou a roupa que vestia”, contou a mesma fonte.

A mulher foi transportada para o Hospital de Vila Franca de Xira, “com lesões graves”, mantendo-se ainda internada naquela unidade hospitalar. De acordo com a TVI, a vítima sofreu um descolamento da placenta, tendo entrado em trabalho de parto. Não terá sido a primeira vez que agressões entre o casal aconteceram. A mesma fonte adianta que há registo na PSP de outras três agressões.

A detenção viria a ser consumada na Esquadra da PSP de Alverca. O suspeito foi presente esta quarta-feira a um juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Vila Franca de Xira, e aplicação de medidas de coação.

(Artigo atualizado às 14h53 de 6 de dezembro)