Ministério da Saúde

Ministra reúne-se com administrações de hospitais para remarcação de cirurgias

Marta Temido afirmou sexta-feira aos jornalistas que tem trabalhado com os cinco hospitais onde decorre a greve em blocos operatórios para "garantir os direitos dos doentes".

HUGO DELGADO/LUSA

A ministra da Saúde reúne-se esta sexta-feira com as administrações dos hospitais onde decorre a greve dos enfermeiros, para garantir uma adequada remarcação das cirurgias que estão a ser adiadas.

Marta Temido afirmou sexta-feira aos jornalistas que tem trabalhado com os cinco hospitais onde decorre a greve em blocos operatórios para “garantir os direitos dos doentes”, adiantando que, sexta-feira ao final da tarde, vai reunir-se com as equipas dessas unidades de saúde.

“O que procuraremos fazer dentro desta circunstância, que é muito penosa sobretudo para os utentes, é encontrar soluções dentro do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, afirmou a ministra aos jornalistas, à margem da apresentação de um estudo, em Lisboa.

Marta Temido considerou ainda que os hospitais devem divulgar as cirurgias que têm sido adiadas devido à greve. “Uma divulgação daquilo que é o prejuízo desta greve é um elemento absolutamente essencial para que os portugueses compreendam o que se esta a passar, que é uma greve extraordinariamente agressiva, precedida por uma proposta que respondia à maioria das reivindicações dos enfermeiros”, declarou.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
ADSE

As guerras da saúde fazem sentido? /premium

Rui Ramos
298

Na cínica “ideologia do SNS” não temos qualquer preocupação com a saúde pública, mas um projecto de domínio da sociedade pelo poder político e ainda um cálculo eleitoral partidário. 

Ministério da Saúde

A ministra incendiária /premium

José Manuel Fernandes
2.959

O PS enganou-se no campo de batalha, pois querer tratar como “supletivo” 42% do nosso sistema de saúde não é apenas uma loucura ideológica, é uma facada no coração da classe média. Em ano de eleições.

ADSE

A guerra da ADSE será paga em Outubro

Pedro Braz Teixeira
1.063

O actual conflito entre a ADSE e “meia dúzia” de operadores privados vai-se transformar num conflito entre a ADSE milhares e milhares de beneficiários, com óbvias consequências eleitorais.

Política

Populismo, Portugal e o Mar

Gonçalo Magalhães Collaço

A capacidade que a Esquerda tem, e sempre teve, para se impor, dominar e exercer o condicionamento mental que exerce, é admirável.

Política

As direitas a que Portugal tem direito /premium

Alberto Gonçalves
384

Visto que em Portugal a direita se define por ser tudo aquilo de que a esquerda não gosta, eu defino-me por não gostar de tudo aquilo o que a esquerda é. Quanto à direita, tem dias. E tem direitas.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)