Pelo menos 12 pessoas morreram na sequência de um atentado suicida que teve como alvo as forças de segurança nos arredores de Kabul, no Afeganistão, durante a manhã desta terça-feira. Este é o mais recente ataque reivindicado pelos talibãs na zona da capital afegã.

O ataque aconteceu no distrito de Paghman, a oeste de Kabul, pelas 9h20 (4h50 em Lisboa) quando uma caravana de agentes dos serviços de informação estava a regressar à capital depois de uma operação noturna. O porta-voz adjunto do Ministério do Interior, Nasrat Rahimi, citado pela France-Presse, confirmou o número de mortos, revelando que quatro pessoas pertenciam às forças de segurança.

As restantes vítimas mortais eram civis. Há “uma mulher e duas crianças” entre os mortos, confirmou à France-Presse o porta-voz da polícia, Basir Mujahid. Os talibãs reivindicaram o ataque através do seu porta-voz, Zabiullah Mujahid, no Twitter.

O atentado desta terça-feira é o mais recente numa nova onda de violência contra as forças de segurança afegãs, que já causou ao longo deste ano um elevado número de baixas do lado das autoridades. Este ataque aconteceu apenas algumas horas depois de um ponto de verificação no distrito de Kandahar ter sido atacado por talibãs. Pelo menos oito polícias morreram durante o combate que durou várias horas, segundo a France-Presse. O gabinete de imprensa do distrito revelou que os talibãs sofreram 11 baixas.