A Procuradoria-Geral da República da Guiné-Bissau referiu esta terça-feira que não suspendeu o recenseamento eleitoral para as eleições legislativas e que apenas ordenou a suspensão dos trabalhos no servidor principal do Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral (GTAPE).

Em comunicado, divulgado à imprensa, a Procuradoria-Geral da República salienta que na sequência de “várias denúncias proferidas por cidadãos particulares, alguns partidos políticos e o próprio GTAPE”, sobre alegadas irregularidades no processo de recenseamento eleitoral, instaurou três processos-crime, porque “aquelas denúncias podem levar à prática de crimes de recenseamento eleitoral, que por natureza são crimes”.

Os procedimentos criminais, refere o comunicado, estão a decorrer nos tribunais de Buba, Bafatá e Bissau/Biombo para “apuramento da verdade material dos factos denunciados”.