Há uma página na Internet que permite a qualquer cidadão europeu escrever um postal a pedir aos britânicos que continuem na União Europeia. “Please Stay UK”, “Por Favor Fica, Reino Unido”, foi lançado pela Fuel e pela Bright Pixel esta segunda-feira por causa da votação do acordo do Brexit no parlamento — que acabou por ser adiada. Em 24 horas, a página levou quase 400 pessoas a publicar postais virtuais com mensagens de solidariedade para com os britânicos. E até há quem lhes prometa deixar um dos seus clubes ganhar a Liga dos Campeões se continuarem na UE.

Let’s stay together ?

Posted by Marta Cudell on Sunday, December 9, 2018

Por detrás da página está um português e uma alemã. O cidadão Paulo Azevedo, que também é o presidente executivo da Sonae, e a mulher, Nicole Azevedo, “gostariam que o Reino Unido ficasse na União Europeia e decidiram tentar encontrar uma maneira de deixar o povo britânico saber disso”, pode ler-se no manifesto do site. Em declarações ao Observador, Nicole explicou que a ideia de criar este movimento surgiu “espontaneamente”: “Não foi premeditado. Acho que fomos inspirados pelas constantes notícias sobre o Brexit. É assunto que para mim, em particular, me diz muito porque não sou portuguesa mas estou cá há tanto tempo que também não sou só alemã. Essa é a realidade europeia”, contou.

Paulo Azevedo, presidente executivo da Sonae

Paulo e Nicole Azevedo contaram com a ajuda de “um monte de amigos, familiares e colegas de trabalho”, mas dois “trabalharam dia e noite” para levar o projeto avante: Miguel Barros e Celso Martinho. Ao Observador, Celso explicou que “Please Stay UK” foi uma ideia “orgânica” que surgiu num “momento decisivo para o Reino Unido”: “Este sentimento de que o Reino Unido faz falta na União Europeia era partilhado no trabalho, entre amigos e com a família. Como a votação seria tomada ontem [segunda-feira], esta era a oportunidade de lançar o movimento”, concretizou ele.

A filosofia por detrás de “Please Stay UK” é independente de partidos ou ideais políticos: o movimento online, que permite publicar os postais nas redes sociais, só pretende ser “emocional e cultural”. Celso define-o como “um instrumento para cada cidadão europeu manifestar aos britânicos um sentimento reconfortante de solidariedade”, numa altura em que o Reino Unido chega a estar “dividido e até polarizado”, descreve o co-fundador do site. E Nicole também sublinha que “Please Stay UK” serve para “dar um sinal de confiança aos ingleses” porque “este pode ser o princípio de algo que se está a desfazer”.

Aqui está uma forma de dizer aos nossos amigos do UK que não queremos que eles se vão embora. Juntem-se a mim?#pleasestayuk

Posted by Miguel Bragança de Barros on Monday, December 10, 2018

A ideia nasceu em finais de novembro e foi concretizado de forma “intensa” em apenas semana e meia. Porquê tanto esforço? Porque “todos temos uma série de desafios essenciais à nossa frente que só podemos fazer com muita cooperação a nível regional e global”, considera o grupo no manifesto do movimento. Políticas à parte, “Please Stay UK” considera que só se os 28 Estados-membros estiverem unidos é que há condições para “preservar a paz, eliminar a pobreza, controlar as mudanças climáticas, proteger os nossos oceanos, impedir a redução da biodiversidade, criar sociedades mais prósperas e igualitárias, acabar com o radicalismo e o populismo e eliminar o terrorismo”.

Mas há outros problemas, acreditam os fundadores: “O senhor Trump decidiu que agora é primeiro os Estados Unidos. E a Rússia e a China preferem jogar pelas suas próprias regras. Portanto, parece que este é um momento chave para uma Europa forte e unida liderar o difícil desafio de manter o mundo comprometido a trabalhar em conjunto nas nossas instituições de liderança mundial como a ONU, a OMC, a OMS, a UNESCO e todos os protocolos adicionais, convenções e acordos para tentar alcançar os principais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU”.

Ao longo do manifesto, os criadores de “Please Stay UK” também dão dois motivos para o Reino Unido continuar na União Europeia. Um deles é que “Bruxelas é um pouco burocrática e às vezes parece que não podemos concordar nem com o óbvio, mas, se respirar fundo e pensar em acordos regionais e globais incrivelmente complexos e difíceis, pode aperceber-se que não estamos a fazer isto mal”: “É um pouco melhor do que a ONU e, muitas vezes, ainda melhor do que Washington, que está a coordenar apenas estados dentro de um único país. Além disso, tu és um dos melhores países da Europa a pressionar por melhorias e a sugerir soluções sensatas”, elogiam.

https://www.facebook.com/luisinha/posts/10156084377483763

Além disso, “todos gostam do Reino Unido”, garantiram: “É verdade que às vezes és um pouco estranho e esquisito, e não temos ideia de porque é que insiste em conduzir do lado errado da estrada ou em ter tomadas elétricas estranhas e grossas, mas reconhecemos que todos nós temos as nossas esquisitices e estranheza e realmente essa é  uma das melhores características da Europa. Nós sentimo-nos europeus por causa dos valores da Europa, mas também por causa desta diversidade, às vezes estranha”, conclui o manifesto.

Foi por tudo isto que os criadores criaram os postais do “Please Stay UK”. Tudo o que precisa de fazer é aceder ao site e clicar no botão amarelo que diz “Create Postcard”, que em português significa “Criar Postal”. A seguir tire uma fotografia e escolha em que país está para personalizar o fundo do postal. Depois, selecione a mensagem que quer escrever no postal — e que pode ser, por exemplo, “Não vamos reclamar do tempo quando te formos ver”, “O que é que vou fazer com os meus adaptadores de tomadas?” e “Vamos ficar por trás de todas as linhas amarelas e vamos estar atentos a todas as distâncias [mind the gap]”.

O promotor português é Paulo Azevedo e não Tiago Azevedo como originalmente escrito.