Vaidades

Anatomia de Grey. Ellen Pompeo e Patrick Dempsey não se falam há 3 anos

181

Para surpresa de quem a estava a entrevistar, Pompeo revelou que não fala com Patrick Dempsey desde que este abandonou a série "Anatomia de Grey". "Contracenámos durante 11 anos fantásticos."

© DR

Durante anos formaram uma das duplas românticas mais acarinhadas do pequeno ecrã: quem não se recorda do romance fulminante e, por vezes, doloroso dos médicos Meredith Grey e Derek Shepherd? Passados três anos da morte ficcional de Shepherd, que naturalmente coincidiu com a saída do ator da série, Ellen Pompeo revela que não fala com Patrick Dempsey desde então.

Durante a participação no programa de Facebook “Red Table Talk” — que tem como anfitriãs Jada Pinkett Smith, a sua filha Willow e a sua mãe Adrienne (três gerações da mesma família) — Pompeo foi questionada sobre se mantém a amizade com aquele que foi durante anos o protagonista masculino da série. “Não nos falamos desde que ele deixou a série”, disse para surpresa da mulher, filha e sogra do ator Will Smith. Ellen Pompeo depressa afirmou que não guarda qualquer rancor em relação a Patrick, quem considera ser um grande ator.

Ele é um ótimo ator e nós fizemos a melhor televisão que podíamos ter feito juntos. Este é um homem talentoso. E contracenámos durante 11 anos fantásticos.”

Interracial Marriage with Ellen Pompeo

Grey's Anatomy star Ellen Pompeo opens up about her interracial marriage and the challenges of raising bi-racial children.

Posted by Red Table Talk on Thursday, December 6, 2018

A atriz, que também é produtora, fez ainda questão de dizer que não é incomum os atores precisarem de tempo para si próprios após o fim de um contrato semelhante, “de maneira a perceberem quem são sem a série”. “Tipicamente, quando alguém abandona a série precisa de se redefinir. A série ocupa muito tempo da nossa vida. Por isso, não tenho falado com o Patrick, mas terei sempre um lugar para ele no meu coração.”

Aos 49 anos, Pompeo é a atriz mais bem paga do horário nobre norte-americano, depois de no final do ano passado ter fechado um contrato de 20 milhões de dólares por ano para protagonizar mais duas temporadas do drama médico que estreou em 2005. O valor que a atriz já antes garantiu ser “merecido” foi difícil de alcançar: “A certa altura pedi que me dessem mais cinco mil dólares [perto de quatro mil euros] do que ao Patrick, porque, afinal, a série chamava-se ‘Anatomia de Grey’ e eu era a Meredith Grey. Mas eles não concordaram. Eu podia simplesmente ter-me ido embora. Não fui, era a minha série e eu era a número um”, disse ao canal norte-americano ABC no início do ano.

A saída do ator em 2015 foi para a atriz um momento decisivo para renegociar os valores. Ao The Hollywood Reporter, Ellen Pompeo chegou a contar que o também protagonista nunca se mostrou interessado em juntar-se ela para negociar um salário mais alto. Estava 2017 prestes a acabar quando Ellen finalmente conseguiu assinar um contrato milionário.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
IAVE

Errare humanum est… exceto para o IAVE!

Luís Filipe Santos

É grave tal atitude e incompreensível este silêncio do IAVE. Efetivamente, o que sempre se escreveu nos anos anteriores neste contexto foi o que consta na Informação-Prova de História A para 2018.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)