O filme “El reino”, de Rodrigo Sorogoyen, sobre política e corrupção, lidera a corrida aos prémios de cinema Goya 2019, com 13 nomeações, anunciou esta quarta-feira a Academia de Cinema de Espanha.

O filme inspira-se num esquema verídico de corrupção em Espanha, denominado “caso Gürtel”, que se baseava em conceder contratos públicos a empresas, em troca de dinheiro, e que ajudou a financiar o Partido Popular (PP) de Espanha. O então primeiro-ministro, Mariano Rajoy, chegou a depor em tribunal.

“El reino” lidera as nomeações em categorias como melhor filme, realização, banda sonora e elenco, nomeadamente pela prestação de Antonio de la Torre, como melhor ator.

Na corrida aos prémios, com onze nomeações, está também “Campeones”, comédia de Javier Fesser, que é o filme candidato por Espanha a uma nomeação para os Óscares, e que foi a produção espanhola com maior audiência este ano nas salas do país, com 3,2 milhões de espectadores.

Entre outras nomeações, destaca-se a inclusão de “Todos lo saben”, do iraniano Asghar Farhadi, protagonizado por Penelope Cruz e Javier Bardem.

O ator Antonio de la Torre está duplamente nomeado, com “El reino” e “La noche de 12 años”, de Álvaro Brechner.

“O homem que matou D. Quixote”, de Terry Giliam, rodado em Espanha e em Portugal, soma cinco nomeações.

A 33.ª edição dos Goya decorrerá a 2 de fevereiro, em Sevilha.