Foram nomeados 20 projetos portugueses para o Prémio Mies van der Rohe 2019, um dos galardões de maior prestígio na área da arquitetura. O anúncio foi feito na terça-feira pela Comissão Europeia, organizadora do galardão.

Os projetos portugueses nomeados situam-se num universo de 383 projetos de 38 países, que serão reduzidos a apenas 40. Concluída a seleção, os cinco finalistas vão ser visitados pelo júri, em abril, e todo o processo irá culminar com a entrega do prémio no dia 7 de maio, em Barcelona, Espanha. Ao vencedor vão ser entregues 60 mil euros.

Os projetos portugueses selecionados são:

1- Centro de Artes de Águeda (autor AND-RÉ)

2- Capela do Monte, em Barão de São João (Álvaro Siza 2 – Arquiteto)

3- Centro Interpretativo do Vale do Tua, Foz do Tua (Rosmaninho + Azevedo Arquitetos)

4- Aproveitamento Hidroelétrico de Foz Tua, Foz do Tua (Souto Moura – Arquitetos)

5- Promise – Casa do Caseiro, em Grândola (Camilo Rebelo Arquitetos)

6- Capela de Nossa Senhora de Fátima, em Idanha-a-Nova (Plano Humano Arquitetos)

7- Edifício FPM41, em Lisboa (Barbas Lopes Arquitetos)

8- Palacete Barão de Santos, em Lisboa (Barbas Lopes Arquitetos)

9- Casa na Rua do Quelhas, em Lisboa (Inês Lobo Arquitetos)

10- Praça Fonte Nova, em Lisboa (José Adrião Arquitetos)

11- Teatro Luís de Camões, em Lisboa (Manuel Graça Dias + Egas José Vieira, Arquitetos)

12- Terminal de Cruzeiros de Lisboa (Carrilho da Graça)

13- Capela da Luz Eterna, em Ponta Garça (Bernardo Rodrigues)

14- Casa Rotativa, em Coimbra (Pedro Bandeira)

15- Casa Rua do Paraíso, Porto (FALA)

16- Jardim Botânico do Porto: Reabilitação da Casa Andresen e Estufas e Reabilitação da Casa Salabert (Nuno Valentim)

17- Hotel Rural Casa do Rio, em Vila Nova de Foz Côa (Menos é Mais Arquitetos)

No conjunto, há três projetos de arquitetos portugueses criados no estrangeiro, o que perfaz o total de 20 projetos selecionados para o Prémio Mies van der Rohe 2019. São estes:

– Église à Saint-Jacques-de-la-Lande, em Rennes (Álvaro Siza 2 – Arquiteto)

– LOCI Faculté d’Architecture, d’Ingénierie Architecturale d’Urbanisme, Tournai (Atelier Aires Mateus)

Capela do Vaticano para a Bienal de Veneza 2018 (Souto Moura – Arquitetos)

O Prémio Mies van der Rohe é bienal e distingue projetos de arquitetura construídos nos dois anos que precedem a sua atribuição. As propostas apresentadas incidiram nas áreas da habitação, cultura, escritórios, desporto, comércio, edifícios governamentais, transporte e tipologias urbanas. A área da cultura foi a que se destacou este ano.