Vencer a Taça Intercontinental de hóquei em patins feminino é o único objetivo do Benfica que esta quarta-feira viaja para San Juan, onde defrontará no sábado a equipa do Conception, campeã argentina, no primeiro jogo da final-four.

Consciente das dificuldades que o Benfica terá pela frente, o treinador Paulo Almeida destaca que o Conception também terá de ficar em sentido pelos atributos que a equipa campeã de Portugal apresenta ao longo dos 50 minutos de jogo.

Com um remate fácil e uma excelente saída para o contra-ataque, como o provam os 53 golos marcados nos primeiros quatro jogos da zona sul do campeonato nacional, o Benfica entrega este cartão de visita para a primeira edição da Taça Intercontinental na variante feminina, troféu que a antiga glória da modalidade quer trazer para Portugal.

“Vamos defrontar no primeiro jogo as campeãs da Argentina, têm jogadoras internacionais e vai ser um jogo difícil para nós, mas também para elas. Acreditamos nas nossas capacidades e estamos a trabalhar no intuito de ir lá para disputar a Taça Intercontinental para a ganhar. O Benfica não pode pensar de outra forma”, disse Paulo Almeida, agradecendo à direção do Benfica pelo esforço feito em levar as atletas até à Argentina.

O Conception será o primeiro adversário. Tem nas suas fileiras Maria Luciano Agudo, uma atleta que é referência mundial e para a qual Paulo Almeida deixa um sério alerta. “É ‘só’ a melhor da argentina. É ‘só’ campeã nacional de hóquei em patins e ‘só’ campeã nacional de hóquei em campo. Ela pode fazer a diferença num momento de inspiração. Mas uma só jogadora não ganha jogos. Sabemos que o jogo passa todo por ela e que o Conception tem nela uma jogadora de área e que parece ter ‘uma raquete nas mãos’, uma vez coloca muito bem a bola ao segundo poste”, frisou.

Apesar disso, Marlene Sousa salienta que o Benfica tem capacidade para chegar à final e conquistar o troféu, lembrando a estreia do Benfica na Liga Europeia. “Sabemos que estamos entre as melhores equipas do mundo, é disso que é feita esta Taça Intercontinental. Esperamos um jogo difícil, um jogo equilibrado, mas um jogo onde vamos dar tudo por tudo para vencer. Temos boas recordações das nossas estreias em competições internacionais. Relembro a nossa estreia na Liga Europeia, que no nosso ano de estreia conseguimos vencer. Esperamos que esta boa experiência se repita na Taça Intercontinental”, desejou.

Para isso, Paulo Almeida garante que a sua equipa vai entrar para vencer do primeiro ao último segundo, como o faz em cada jogo, independentemente da eventual interferência de terceiros no decorrer do encontro.

“Quem quer ganhar ao Benfica tem de deixar a pele em campo, porque nós também a deixamos. Para ganhar ao Benfica têm de ser superiores ao Benfica. Vamos jogar num país sul-americano, em casa delas e sabendo que os árbitros são um bocado ‘caseiros’, mas isso não pode colocar na condição de derrotados antes de o jogo começar”, rematou.

Certo é que as jogadoras do Benfica vão querer aproveitar esta montra mundial para espelhar o nível do hóquei feminino português e europeu, até porque no mesmo pavilhão se realiza a Taça Intercontinental de hóquei em patins masculino, onde estão FC Porto, Murialdo Club Patìn, Barcelona e Conception.

“Aquilo que nos define é a nossa capacidade de sair em contra-ataque, a nossa capacidade de lutar por cada jogo como se fosse o último. Vamos dignificar a camisola que vestimos, independentemente de estarmos longe de Portugal. O nosso maior desejo é ganhar. Estar numa competição com esta dimensão é um sonho para qualquer atleta. A partir do momento em que lá chegamos vamos dar tudo em campo para conseguir vencer”, concluiu Marlene Sousa.

Em caso de triunfo, o Benfica defrontará na final, agendada para domingo 16 de dezembro, as vencedoras do encontro entre as espanholas do Gijon e as argentinas do Talleres.

FC Porto na Argentina com Taça Intercontinental de hóquei em patins na mira

A equipa de hóquei em patins do FC Porto encontra-se já na Argentina, onde vai disputar a Taça Intercontinental, tendo como ambição conquistar o título.

A ambição dos dragões é transmitida pelo treinador, o espanhol Guillem Cabestany, em declarações à agência Lusa, embora tenha alertado para as dificuldades que a equipa portista vai encontrar, não considerando a sua equipa favorita.

“Favorito a conquistar o troféu não acredito, porque também estão outras três equipas com muito nível. As equipas argentinas, quando jogam em casa, multiplicam o seu esforço. Depois, se conseguirmos chegar à final, estará ou o Concepción ou o Barcelona, que também são rivais de alto nível”, frisou o técnico.

Guillem Cabestany referiu ainda que o FC Porto, “a nível desportivo está bem”, ainda assim não esquece as adversidades que estarão inerentes a esta viagem. “A nível desportivo estamos bem e vamos para a Argentina com a sensação de que a equipa está num bom momento. E sabendo que estamos a jogar bem, é óbvio que vamos para esta competição para ganhar e para tentar trazer um título internacional”, referiu o técnico espanhol.

A longa viagem e a adaptação à pista e ao clima são as principais preocupações do treinador, que acredita que, no caso das equipas argentinas em prova, vai ser um ponto a favor. Ainda assim, Guillem Cabestany acredita que a história desta prova poderá ter um final feliz para o FC Porto.

“Pode condicionar com certeza. É uma viagem mais longa do que o que estamos habituados, há uma mudança de horário, poucos dias para a habituação. O nosso adversário no primeiro jogo não tem este handicap, então, eles vão estar muito mais adaptados ao fuso horário, à pista, às condições climatéricas, que também serão muito diferentes das nossas. Para nós, é um impacto que vai ter alguma repercussão. Temos que estar alerta e ter consciência de que existem estes fatores que nos podem dificultar a vida”, disse ainda.

Apesar dos condicionalismos, o treinador dos dragões não esconde a ambição: “Mas também não vamos para a Argentina a sentir que somos inferiores a alguém. Vamos com a ambição que sempre temos e com a vontade de ganhar, para já o primeiro jogo e, depois, uma final que esperemos jogar.”

A edição de 2018, que decorre em San Juan, na Argentina, nos dias 14 e 16 de dezembro, será disputada no formato de final four, entre os espanhóis do FC Barcelona, campeões europeus de 2018, o FC Porto, vice-campeão europeu de 2018, os argentinos do Clube Leonardo Murialdo, campeões pan-americanos de 2018, e os também argentinos do Concepción Patín Club, vice-campeões pan-americanos de 2018. Nas meias-finais, o FC Porto defronta o Club Leonardo Murialdo, e o FC Barcelona o Concepcion Patín Club.