Câmara Municipal Lisboa

Lisboa será capital da bicicleta em 2021

462

Lisboa foi a cidade escolhida para organizar a conferência Velo-city em 2021, um evento que promove a utilização diária das bicicletas como transporte diário e lazer, anunciou a autarquia lisboeta.

A rede de bicicletas partilhadas Gira atingiu em menos de um ano a marca de 1 milhão de viagens, segundo dados da Câmara Municipal de Lisboa

MÁRIO CRUZ/LUSA

Lisboa foi escolhida para organizar a Velo-city em 2021, um evento promovido pela Federação Europeia de Ciclismo e que é considerado uma referência em termos de planeamento e promoção do uso da bicicleta como transporte diário ou lazer, anunciou a Câmara Municipal de Lisboa em comunicado esta quinta-feira.

Para sedear o evento, a capital portuguesa competiu contra cidades europeias como Liubljana ou Valência, mas acabou por se destacar pelo “forte compromisso político local e nacional, mas também pelo envolvimento na candidatura da indústria da bicicleta nacional (Portugal é o terceiro maior produtor europeu) e da Academia”.

Para a autarquia, este é um reconhecimento a nível internacional do “trabalho da Câmara de Lisboa na promoção dos modos ativos e do transporte coletivo “, bem como “um incentivo a prosseguir a estratégia definida neste âmbito”. Atualmente Lisboa tem cerca de 90km de rede ciclável, mas pretende chegar aos 120km até 2021.  Segundo informações transmitidas pelo município, este evento atrai cerca de 1500 delegados de mais de 60 países.

As conferências da Velo-city surgiram pela primeira vez na cidade alemã de Bremen em 1980 e desde aí já percorreram várias cidades como Copenhaga, na Dinamarca, Bruxelas, na Bélgica, ou Barcelona, em Espanha. No próximo ano, o evento será em Dublin e em 2020 na Cidade do México.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Fomos aldrabados

Fernando Leal da Costa

Finanças “sãs” não se podem construir à custa da perda do direito à proteção da saúde da população, mas o saldo deste governo são piores serviços, pior acesso, falta crónica de dinheiro e mais dívida.

Educação

Estado-educador e Estado-cultura, em marcha?

Mário Pinto

Não existe uma educação para a cidadania única e institucional. Há várias concepções de cidadania, mesmo como concepções de vida democrática, pois há pluralismo social e cultural, ou moral e religioso

NATO

Os 70 anos da NATO, vistos da Europa


João Diogo Barbosa

Não só o “exército europeu” se tornou um dos temas essenciais para o futuro, como foi possível, pela primeira vez, a aprovação de um Programa Europeu de Desenvolvimento Industrial no domínio da Defesa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)