As autoridades turcas apreenderam 34 quilos de cornos de rinoceronte provenientes de Moçambique, uma quantidade avaliada em 2,2 milhões de dólares (1,9 milhões de euros), disse esta sexta-feira à Lusa fonte oficial.

“As primeiras análises indicam que se trata de cornos de rinocerontes moçambicanos, tendo em conta que a pessoa que foi encontrada com os cornos vinha de Moçambique”, disse à Lusa o diretor de Proteção e Fiscalização da Administração Nacional das Áreas de Conservação (ANAC), Carlos Lopes.

Os cornos de rinocerontes foram encontrados camuflados na bagagem de um passageiro vietnamita, que viajava de Moçambique com destino ao Vietname, num voo que fez escala na Turquia.

“Estamos a fazer contactos para ter mais informações neste caso”, disse o diretor de Proteção e Fiscalização da ANAC, acrescentando que a que o vietnamita passou pelo Aeroporto Internacional de Maputo um dia antes de as autoridades mobilizarem cães farejadores nas operações de fiscalização.

“Apesar deste caso que agora surge, temos notado uma melhoria na fiscalização. Há mais pessoas a serem detidas neste tipo de crime nos aeroportos nacionais”, declarou Carlos Lopes.

O caso mais recente do tráfico de cornos de rinoceronte, através do aeroporto internacional de Maputo, deu-se em outubro, quando foram apreendidas 10 peças na bagagem de um cidadão vietnamita, de 43 anos.

Além de chifres de rinocerontes, os caçadores furtivos procuram também pontas de marfim, cujo mercado de destino é a Ásia.