Rádio Observador

Crime

GNR de Aveiro deteve alegado cabecilha de grupo de furto de máquinas de tabaco

A GNR de Aveiro deteve o alegado cabecilha de um grupo que furtava máquinas de tabaco em cafés na zona de Vagos e Ílhavo. O suspeito foi presente ao Tribunal e Aveiro e ficou em prisão preventiva.

A detenção ocorreu no âmbito de uma investigação por furto em estabelecimentos comerciais, que decorreu durante 3 meses e resultou ainda na identificação de outros 3 indivíduos

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A GNR de Aveiro deteve o alegado cabecilha de um grupo que se dedicava ao furto de máquinas de tabaco em cafés de Vagos e Ílhavo, disse esta sexta-feira fonte policial.

Em comunicado, a GNR esclarece que o indivíduo foi detido na passada quarta-feira em cumprimento de um mandado de detenção.

A detenção ocorreu no âmbito de uma investigação por furto em estabelecimentos comerciais, que decorreu durante três meses e resultou ainda na identificação de outros três indivíduos.

De acordo com a GNR, os quatro homens, com idades entre os 28 e 32 anos, “eram suspeitos de fazerem parte de uma célula organizada que se dedicava ao furto em estabelecimentos de restauração e bebidas, destacando-se o furto de máquinas de tabaco, nos concelhos de Vagos e Ílhavo”.

Na mesma nota, a GNR diz que foram realizadas buscas às residências dos suspeitos e ao veículo do detido que culminaram na apreensão de sete telemóveis e um computador portátil.

Foram ainda apreendidos artigos de vestuário e material utilizado na prática dos ilícitos, nomeadamente um pé de cabra, utilizado para o arrombamento dos estabelecimentos.

O detido foi presente ao Tribunal de Aveiro, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva. Os restantes três indivíduos foram constituídos arguidos e foi-lhes aplicada a medida de coação de Termo de Identidade e Residência.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Economia

O Congresso dos Economistas /premium

Manuel Villaverde Cabral

A legislação que regula as empresas e os investimentos é tão complicada e contraditória que não só arrasta os processos muito mais tempo que a média europeia como leva os investidores a desistirem.

Política

Alguns mitos da democracia portuguesa /premium

André Abrantes Amaral

Alguns mitos desta democracia: que está tudo bem, que os portugueses são racistas e que a direita não existe porque é socialista. Contudo, como sucede com os verdadeiros mitos, estes também são falsos

Política

Alguns mitos da democracia portuguesa /premium

André Abrantes Amaral

Alguns mitos desta democracia: que está tudo bem, que os portugueses são racistas e que a direita não existe porque é socialista. Contudo, como sucede com os verdadeiros mitos, estes também são falsos

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)