Guilherme Figueiredo, bastonário da Ordem dos Advogados desde janeiro do ano passado, anunciou este sábado a sua recandidatura ao cargo para 2020-2022, tal como o Observador já tinha antecipado. As eleições terão lugar em novembro do próximo ano.

Segundo comunicado, na base desta decisão estão “algumas questões internas por resolver e programas de natureza política mais amplos e ambiciosos que precisam de ser concluídos”. Já numa entrevista à SIC Notícias, no momento em que anunciou a sua candidatura, Guilherme Figueiredo admitiu: “Não estava nos meus horizontes uma recandidatura. O mandato é muito duro, exige muito. Porém, tenho de reconhecer que esta semana, a questão voltou a colocar-se em cima da mesa”.

Em 2013, Guilherme Figueiredo já se tinha candidatado a Bastonário, tendo exercido anteriormente o cargo de presidente do Conselho Regional do Porto em dois mandatos. “Acho que os meus colegas têm o direito de saber se alguém que está num cargo — seja ele de bastonário ou em conselhos regionais — tem o dever de explicar se eventualmente se recandidata, até para que a fiscalização seja diferente, para perceber se as atitudes são eleitoralistas ou se é o cumprimento de um programa. Sim, decidi esta semana e vou fazer a recandidatura”, disse ainda o Bastonário.