INEM

Já foi reposto o helicóptero de Macedo de Cavaleiros que se despenhou

160

O INEM substituiu o helicóptero de Macedo de Cavaleiros por outro melhor graças a um "grande esforço", disse o presidente do Instituto. A tripulação para a aeronave também está assegurada.

INEM diz que foi feito um "grande esforço" para substituir helicóptero destruído

Tiago Petinga/LUSA

Mais sobre

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) já substituiu o helicóptero de Macedo de Cavaleiros que este sábado se despenhou na Serra de Santa Justa, confirmou o presidente do Conselho Diretivo do instituto. O helicóptero será “melhor” do que o anterior, disse Luís Meira: “Foi feito um esforço gigantesco. O serviço vai continuar a ser prestado com a máxima eficácia possível neste momento. Os portugueses podem continuar a confiar no Instituto”, garantiu.

Em comunicado, o INEM já tinha explicado que a aquisição do novo helicóptero se tratou de um “esforço conjunto entre o INEM e a empresa que fornece o serviço de helitransporte ao Instituto”. O Instituto também sublinhou que será assegurada a tripulação para a aeronave (médico, enfermeiro e pilotos). Benjamim Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Macedo de Cavaleiros, confirmou isso mesmo ao jornalistas esta segunda-feira: “Quero louvar a atitude tão célere do INEM e do governo que ouviu as nossas apreensões. Este serviço para nós é essencial”.

Este dispositivo afeto ao Serviço de Helicópteros de Emergência Médica permite colocar “24 horas por dia ao serviço dos cidadãos, quatro helicópteros exclusivamente dedicados à emergência médica, com as respetivas bases localizadas em Macedo de Cavaleiros e Évora (helicópteros ligeiros) e Santa Comba Dão e Loulé (helicópteros médios)”, refere a nota enviada este domingo.

Além da reposição do helicóptero, o INEM assegura ainda que uma das principais preocupações passa também por assegurar o “acompanhamento e apoio que é necessário assegurar às famílias em luto e aos próprios profissionais do INEM”.

O Instituto gostaria de deixar expresso o seu agradecimento a todos os operacionais do INEM e demais agentes de Proteção Civil que, em condições particularmente difíceis, tudo fizeram para que o helicóptero acidentado fosse rapidamente encontrado”, acrescenta o INEM na nota enviada.

“Este é, naturalmente, um momento particularmente difícil e extremamente doloroso para a nossa instituição e seus profissionais, agradecendo-se todas as numerosas mensagens de solidariedade recebidas”, escreve o INEM, salientando ainda “o trabalho das diversas equipas de psicólogos” que prestaram apoio, e vão continuar a fazê-lo “enquanto necessário”, aos familiares das vítimas e aos operacionais do Instituto.

Segundo Luís Meira, as corporações do INEM estão “afetadas” pelo incidente de sábado: “Estas coisas não nos passam ao lado e servem para nos confrontar com as dificuldades que passamos na prestação do socorro. Tentamos dar as melhores condições de trabalho, mas é impossível dizer que há risco zero e estamos todos cientes disso”, afirmou. Sobre a atuação do INEM quando o alerta da queda foi dado, o presidente disse que “a prioridade foi, numa primeira fase, o socorro e a assistência”: “Numa segunda fase, prestámos assistência aos familiares e aos operacionais, até aos que não eram do INEM”, sublinha ele.

Este sábado, um helicóptero do INEM despenhou-se na Serra de Santa Justa, em Valongo, provocando quatro vítimas mortais: um médico, uma enfermeira e dois pilotos que regressavam do Porto para a base, Macedo de Cavaleiros, depois de terem feito o transporte de uma mulher de 76 anos com problemas cardíacos graves do Hospital Distrital de Bragança para o Hospital de Santo António, no Porto.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

Pode alguém pedir que se aja com escrúpulos?

Rita Fontoura

A falta de escrúpulos está a destruir o nosso país. Fomos enganados e estamos a ser enganados. É algo que não salta à vista e por isso engana, o que não espanta já que quem nos governa teve bom mestre

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)