França

France 3 acusada de ter manipulado imagem para favorecer Macron

120

O canal France 3 está a ser acusado de ter apagado uma palavra do cartaz que um membro dos "coletes amarelos" segurava numa das suas concentrações, que pedia a "retirada" do Presidente francês.

A imagem que está a gerar polémica, onde se lê "Macron, retira-te"

O canal de televisão France 3 foi acusado de censura por ter retocado uma imagem para favorecer o Presidente francês, Emmanuel Macron. Em causa está uma fotografia de um membro do movimento dos coletes amarelos” que segura um cartaz apenas com o nome “Macron” escrito, da qual se acredita ter sido apagado a palavra que aparecia em baixo, no espaço que ficou em branco. Na imagem original pode ler-se “Macron, dégage”, cuja tradução em português corresponde a “Macron, retira-te”.

A fotografia apareceu na emissão da France 3 no passado sábado e logo foi partilhada nas redes sociais numa onda de acusações de manipulação e censura. No dia seguinte, no Twitter, a estação televisiva disse que não tinha desejo algum de ocultar o que estava escrito no cartaz e que esse foi um “erro humano” que “não se repetirá”, acrescentando que a origem dessa alteração será identificada e pedindo desculpas pelo que aconteceu.

O departamento de comunicação da France Télévision disse à AFP que este tinha sido “um erro e uma falta de discernimento por parte de uma pessoa que contribui para a produção do programa”.

A imagem transmitida pela France 3 corresponde ao quinto dia das manifestações levadas a cabo pelo movimento dos “coletes amarelos”, onde aparece um conjunto de polícias a cavalo em frente a um grupo de manifestantes, concentrados na Praça da Ópera em Paris.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)