A Assembleia Nacional francesa atualizou esta segunda-feira o projeto de Orçamento do Estado, onde se reveem em alta os valores do défice orçamental para o equivalente a 2,7% do produto interno bruto (PIB) em 2018 e 3,2% em 2019.

Os valores iniciais eram respetivamente de 2,6% do PIB em 2018 e 2,8% em 2019.

Na abertura dos debates em nova leitura do projeto de orçamento, os deputados aprovaram uma proposta governamental de ajustar estas taxas. O próprio primeiro-ministro Edouard Philippe tinha anunciado hoje ao jornal Les Échos este agravamento do défice para 3,2% do PIB, apesar de a França estar sob vigilância estreita da Comissão Europeia.

O governo considerou algumas medidas anunciadas para responder à crise dos designados “coletes amarelos”. É designadamente o caso da supressão integral da subida da taxa interna de consumo sobre os produtos energéticos, que deveria vigorar a partir de 01 de janeiro de 2019, e do aumento do salário mínimo em 100 euros.