Rádio Observador

Angola

Secretário-geral da OPEP em Angola para uma visita de trabalho de dois dias

Mohammed Sanuzi Barkindo vai fazer uma visita de trabalho de dois dias a Angola, em que terá encontros ao mais alto nível com governantes angolanos, indo visitar empresas como Sonangol e Sonils.

Mohammed Sanuzi Barkindo, secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP)

STR/EPA

O secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), Mohammed Sanuzi Barkindo, começa esta segunda-feira uma visita de trabalho de dois dias a Angola, em que terá encontros ao mais alto nível com governantes angolanos.

Barkindo, que chegou no domingo à tarde a Luanda, será recebido pelo Presidente de Angola, João Lourenço, ainda sem confirmação da data e hora, e terá dois encontros com o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, visitando ainda várias instalações de empresas petrolíferas, como as da Sonangol e da Sonils.

Na terça-feira, o secretário-geral da OPEP participa numa palestra subordinada ao tema “A OPEP e o seu Papel na Estabilização do Mercado Petrolífero”, onde estarão presentes vários membros do Governo angolano, diretores de empresas operadoras petrolíferas, bem como representantes dos ministérios angolanos das Relações Exteriores e das Finanças.

A visita do responsável do cartel, que deixa Luanda às 00h00 de quarta-feira, acontece uma semana depois da 175.ª conferência da OPEP, realizada em Viena (Áustria), em que a organização e parceiros, como a Rússia, decidiram fazer mais um corte na produção de até 1,2 milhões de barris/dia a partir de janeiro, com o intuito de travar a descida dos preços do petróleo nos mercados internacionais registado nas últimas semanas.

Em outubro, na bolsa de Londres, o petróleo Brent, referência para as exportações angolanas, chegou a ser negociado a 85,078 dólares, máximo que não era alcançado desde 2014. No entanto, antes da reunião da OPEP, o crude atingiu um mínimo de 59 dólares, razão pela qual Angola e outros membros defendem a necessidade de se encontrar um preço “justo” que garanta um equilíbrio que satisfaça produtores e consumidores.

Responsável por mais de 40% da oferta mundial de petróleo, a OPEP conta com uma produção média diária de 32,7 milhões de barris, em que Angola contribui atualmente com cerca de 1,4 milhões de barris/dia, a segunda maior produção em África, apenas atrás da Nigéria (1,7 milhões).

De nacionalidade nigeriana, Mohammed Sanusi Barkindo, 59 anos, iniciou a 1 de agosto de 2016 o mandato de três anos como secretário-geral da OPEP, de que foi, em 2006, secretário-geral interino. Barkindo, formado pela Ahmadu Bello University, na cidade nigeriana de Zaira, e Southeastern University, Miami (Florida, Estados Unidos), representou a Nigéria no Conselho da Comissão Económica da OPEP entre 1993 e 2008.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)